sexta-feira, 30 de março de 2018

VIVA JESUS



Jesus foi, injustamente, condenado a morte. Por contrariar sacerdotes e fariseus estes planejaram sua morte. Infelizmente, até hoje convivemos com esta intolerância. O que será que aconteceria se Jesus estivesse entre nós? Hoje não há crucificação, mas há linchamento, emboscada, sequestro, e outros. Pensemos juntos: Sua vinda mudou totalmente o comportamento dos cristãos? Não. Por que? Porque só ficamos na admiração de sua vinda; só decorando seus ensinamentos; só tentando agradá-Lo indo à templo religioso, deixando de comer carne na data que lembramos sua morte ou fazendo ceia farta regada a bebida alcoólica para lembrar seu nascimento, enfim, só repetindo seus gestos ou fazendo a vontade imposta pela religião sem fazer o que realmente Ele espera de nós que é a vivencia de seus ensinamentos. Agimos de maneira superficial e com hipocrisia. 

Jesus não viveu para nos salvar, mas para mostrar o caminho da salvação. Se Ele tivesse levado o pecado do mundo, o mundo não estaria tão desequilibrado. Ele está esperando que salvemos o mundo com nossa conduta em relação ao próximo, ao planeta e a nós mesmos usando os ensinamentos Dele.
Como estamos tratando o próximo da família consanguínea? Da escola? Do trabalho? Da via pública? E o planeta: os animais, as florestas, o ar? Jesus desceu da cruz e continuou a ensinar. Façamos valer o sacrifício Dele por nós. Vivamos Jesus!
Pensemos nisso.


Texto de Rudymara



PEDRO NEGOU JESUS 3 VEZES. E NÓS?



Jesus, na última ceia previu que Pedro O negaria 3 vezes. E foi o que aconteceu.
Hoje, muitos “Pedros” negam Jesus muito mais vezes que Pedro negou, quando pedem, por exemplo, a legalização do aborto, das drogas, quando somos corruptos, quando fazemos uso de drogas lícitas e ilícitas, quando somos violentos, enganamos, traímos, ofendemos, humilhamos, e outros. Pois, negar é saber as atitudes que Ele espera que tenhamos conosco e com o próximo e fazermos o contrário. Muitas pessoas costumam dizer ama-Lo, mas tem vergonha de ter atitude cristã diante de quem não tem. A falta de coragem ocorre por medo das perseguições, das discussões, e até mesmo do simples sarcasmo, aos quais sempre se expõe aquele que não teme confessar abertamente suas idéias e atitudes. Pedro negou Jesus 3 vezes, mas depois se arrependeu e O seguiu. E nós, quando faremos o mesmo? Por que temos facilidade em seguir o que ensina as novelas, a moda, as propagandas, enfim, o que a mídia nos impõe e temos dificuldade em seguir Seus pedidos? Certa vez Ele disse a um homem: "SEGUE-ME..." e este respondeu que não podia porque tinha que enterrar seu pai. E nós? Qual a desculpa que damos a Ele nos dias de hoje? "Não posso, vou curtir a vida." "Não posso, vou ao churrasco." "Não posso, vou viajar." "Não posso, vou ao show de meu cantor predileto." "Não posso, não posso, não posso..." Fica a pergunta: "Até quando O negaremos." Pensemos nisso!

Texto de Rudymara



LAVA PÉS





Jesus chama Pedro e João para que eles fossem a Jerusalém para prepararem tudo para celebrarem a páscoa judaica. Pedro e João preparam tudo e naquela noite Jesus vai com os outros. Depois que se assentaram, Jesus se ajoelha, como um servo e lava os pés dos discípulos. Depois que Ele lavou os pés de todos, senta-se à mesa de novo e diz: 
- Vós me chamais de Mestre e Senhor e dizeis bem, pois eu o sou. E se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, assim deveis fazer uns aos outros (...). 
Será que Jesus pediu que saíssemos lavando os pés das pessoas? Não. Como disse Richard Simonetti: "O ensino é magistral: Para Deus o maior será sempre aquele que mais disposto estiver a servir, o que mais se dedique ao Bem." O maior espírito que esteve na Terra, que é Jesus, mostrou que "não veio para ser servido, mas para servir." Façamos o mesmo, buscando fazer aos outros o que queremos que os outros nos façam. Que todos saiam de sua vida de comodidade e vá ao encontro dos necessitados. Todos nós devemos transformar a fé em obras, principalmente os que pregam o Evangelho. Como está no O Evangelho segundo o Espiritismo, “todos os homens são iguais na balança Divina só as virtudes nos distinguem aos olhos de Deus.” O Maior se fez humilde para nos servir de lição. Pensemos nisso!

Rudymara

quinta-feira, 29 de março de 2018

A ÚLTIMA CEIA DE JESUS



Na última quinta-feira que Jesus esteve na Terra, ele se reuniu com os apóstolos para se despedir. Jesus, tomou de um pão, deu graças e repartiu entre eles, dizendo ser (simbolicamente) o "seu corpo", oferecido por eles. Da mesma maneira Jesus fez com o cálice de vinho, dizendo ser (simbolicamente) seu sangue, que também seria derramado para beneficia-los. E pediu: "façam isto em memória de mim." Para nós espíritas, Jesus pediu para que os apóstolos (do cristianismo) compartilhassem uns com os outros o pão que alimenta o corpo e o pão que alimenta o espírito. Enfim, que doassem e se doassem, derramando sangue, se preciso fosse, assim como ele fez por nós. Ele fez este pedido porque sabia que sua doutrina não seria de fácil aceitação, por isso concluiu: "se me perseguiram, também perseguirão a vós outros." Foi o que aconteceu com seus apóstolos após sua desencarnação. E pediu que fizessem isto em memória dele, ou seja, para que seus ensinamentos não ficassem esquecidos. 
Então, façamos o que Ele nos pediu. Que seu pedido não fique em apenas relembrar a última ceia como um simples ritual, mas que coloquemos em prática seus ensinamentos de amor ao próximo e a nós mesmos. Pensemos nisso!



Texto de Rudymara



JESUS TE AMA



JESUS TE AMA, frase que ouvimos e lemos sempre. Mas, e nós, O amamos também?
Alguém perguntará: "Mas, Como devemos amar Jesus?"
Resposta: "Fazendo ao próximo o que queremos que ele nos faça. Porque, tudo que fizermos ao menor dos irmãos Dele, é a Ele que estaremos fazendo. Então, não adianta dizer a Ele: "Senhor, Senhor..." se não fizermos a vontade do Pai Dele que, também, é o nosso. Amar vai além das palavras, amar é ação." 
Comenta Cairbar Schutel: "Converter-se não é só a palavra e o conhecimento, converter-se é transformar a palavra e o conhecimento em ação. Porque há muitas pessoas que, na aparência, mostram seguir Jesus, mas, de fato, não o seguem; ao passo que, muitos que parecem não seguir, estão a caminho com Ele." 
Pensemos nisso!


Rudymara


quarta-feira, 28 de março de 2018

A ÚLTIMA QUARTA-FEIRA DE JESUS NA TERRA


Na última quarta-feira, Judas passa o dia com Jesus e os outros apóstolos sem imaginar que Jesus já sabia o que ele havia feito.
Jesus escolheu seus apóstolos e sabia a fraqueza de cada um deles. Assim mesmo deu a oportunidade de segui-Lo. Judas não nasceu para trair. Ninguém nasce para matar, roubar, trair ou transgredir a lei dos homens e a de Deus. Nós apenas fazemos mau uso do livre arbítrio. Então, neste caso, o maior traído foi ele próprio que se deixou levar por seu ponto fraco: A GANÂNCIA. Quando estamos prestes a errar, o mundo espiritual tenta nos orientar pelos condutos da intuição, além de buscarem nos fazer relembrar as lições que temos armazenadas e que recebemos durante a vida através da religião, do lar, da escola. Mas, quando permitimos que entre em nosso coração as tentações e enganos do mundo, acaba frustrando o empenho do mundo espiritual. Resta deixar que a pessoa exercite o livre-arbítrio e “quebre a cara”, como se costuma dizer, aprendendo, pela didática severa da dor, que é preciso respeitar as leis divinas. O QUE MUDOU DAQUELA ÉPOCA PARA CÁ? Quase nada. Ainda hoje, encontramos muitos Judas vendendo o Cristo, ou seja, seus ensinamentos, por muito mais que 30 moedas de ouro. E traindo seus ensinamentos quando, por exemplo, o marido trai sua esposa e vice-versa; quando os filhos traem a confiança dos pais; quando pessoas traem colegas de trabalho para ganhar posição e cargo; quando familiares traem na partilha da herança; quando traem a confiança das pessoas para roubar, assaltar, dar golpes, enfim, quando fazemos ao outro o que não queremos o que ele nos faça. Judas traiu, foi devolver as moedas e se matou por remorso e arrependimento. E muitos que traem hoje, embora digam ser cristãos, nem arrependimento sentem. Judas, para ressarcir seu débito, reencarnou como Joana D’Arc (1412-1431) que, à semelhança de Jesus, foi traída, vendida, humilhada e morta. Só não foi crucificada. Morreu numa fogueira.


Texto de Rudymara

O QUE ACONTECEU NA ÚLTIMA TERÇA-FEIRA QUE JESUS ESTEVE NA TERRA?



Na segunda Jesus expulsou vendilhões do templo e isso incomodou muita gente. Por isso, na terça-feira o plano estava pronto. Jesus foi testado por um fariseu que Lhe perguntou se era correto pagar tributo a César. Jesus pediu uma moeda e perguntou quem estava cunhado naquela moeda. O fariseu respondeu que era a face de César. Então Jesus disse:
- Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.
O que é de César? Os bens materiais. O que é de Deus? Os bens espirituais.
Se Jesus dissesse “SIM” (que era correto pagar tributo a César) o povo que odiava pagar impostos ficaria contra Jesus. E se Jesus dissesse “NÃO” seria preso por trair Roma.
Depois Jesus é testado novamente pelo fariseu que lhe perguntou qual dos 613 mandamentos era o mais importante? Jesus respondeu: 
- Amarás teu Deus de todo coração, de toda tua alma, de todo teu ensinamento, e todas as tuas forças, e depois, amarás o próximo como a ti mesmo. 
O fariseu surpreende-se com a resposta e concorda. Mais tarde Jesus adverte o povo a ter cuidado com pessoas que fazem o bem para serem visto. E observa um homem rico colocando sua oferta e uma viúva pobre pondo duas moedas. Disse Ele:
- A viúva deu mais que todos, pois deu tudo que possuía. Depois disso Jesus vai para o Monte das Oliveiras. Na mesma noite Judas negociou com os principais sacerdotes para entregar Jesus.


Texto de Rudymara

A ÚLTIMA SEGUNDA-FEIRA DE JESUS NA TERRA


Na última segunda-feira que Jesus esteve encarnado na Terra, Ele expulsou os vendilhões do templo. Este relato está em Lucas XIX, 45-46; Marcos XI, 15-18; Mateus, XXI, 12-17 e João II, 14-19. O de Lucas diz: "TENDO ENTRADO NO TEMPLO, COMEÇOU A EXPULSAR OS QUE ALI VENDIAM, DIZENDO-LHES: ESTÁ ESCRITO: A MINHA CASA SERÁ DE ORAÇÃO, MAS VÓS A FIZESTES UM COVIL DE LADRÕES."
Infelizmente, até hoje encontramos os vendilhões dos templos. Se Judas vendeu Jesus por 30 moedas, hoje encontramos outros que o vende por muito mais. Este dinheiro sustenta o luxo dos templos e os intermediários que vivem desse dinheiro que Jesus condenava. Afinal, Ele próprio pregava nas ruas e praças, não pedia nada pelas curas e andava a pé. O barco e o burro que usava eram todos emprestados. Ao expulsar os vendilhões do templo, Jesus condenou a venda das coisas santas, sob qualquer forma que seja. Deus não vende a sua bênção, nem o seu perdão, nem a entrada no Reino dos Céus. O homem não tem, portanto, o direito de cobrar nada disso. Mas, "tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convém", porque "cada um prestará contas de si para Deus".
MAS, JESUS USOU DE VIOLÊNCIA PARA EXPULSÁ-LOS?
E Cairbar Schutel comenta:"(...) A ação do mestre foi natural; embora não tivesse espancado a quem quer que fosse, nem mesmo as ovelhas e os bois, exerceu uma ação física semelhante à nossa, quando expulsamos do nosso quintal um boi, um carneiro ou um cabrito. Para tal munimo-nos de uma vara ou de um relho e, mesmo sem espancar os pobres animais, fazemo-los sair donde não devem estar. O Evangelho não acusa, absolutamente, a Jesus, por haver Ele afugentado os animais. A ação resoluta de Jesus com os cambistas e traficantes, derribando-lhes as mesas com o dinheiro que sobre as mesmas se achava, é que pode ser classificada como um ato de violência, mas violência sancionada pela Lei que Moisés citou: “A minha casa será casa de oração; mas vós a fizestes um covil de salteadores”, palavras estas proferidas por Isaías(...).
Esse ato de coragem do Senhor, que causou admiração a todos foi, a seu turno, o cumprimento de uma predição do Salmista (...)
O fato é que ninguém se achou com autoridade para expulsar do templo, e Jesus, fê-lo em alguns minutos, dando logo começo à sua tarefa pela cura dos enfermos, coxos e cegos que lá se achavam, atos esses que lhe valeram aplausos dos meninos, que exclamaram: “Hosanas ao Filho de Davi(...)”Após esta atitude de Jesus, sacerdotes e fariseus, contrariados com sua posição e reação, começaram a fazer planos contra Ele.

Texto de Rudymara




terça-feira, 27 de março de 2018

A VIDA DÁ VOLTAS

domingo, 25 de março de 2018

DOMINGO DE RAMOS


O MAL PODE SER IRRESISTÍVEL?


Kardec perguntou aos Espíritos na questão 645 do O Livro dos Espíritos:
- Quando o homem se acha, de certo modo, mergulhado na atmosfera do vício, o mal não se lhe torna um arrastamento quase irresistível?
Resposta dos Espíritos: “Arrastamento, sim; irresistível, não; porquanto, mesmo dentro da atmosfera do vício, você sempre se depara com grandes virtudes. São Espíritos que tiveram a força de resistir e que, ao mesmo tempo, receberam a missão de exercer boa influência sobre os seus semelhantes.”
Ou seja, no mundo em que vivemos e no local em que convivemos encontramos bons e maus exemplos, cabe a nós escolhermos, utilizando nosso livre arbítrio, o lado que queremos seguir. Kardec perguntou "qual a finalidade da nossa encarnação" e os Espíritos responderam: 
— Expiação, melhoramento progressivo da Humanidade. Sem isso, onde estaria a justiça?Nascemos para evoluir. Portanto, ninguém nasce para matar, roubar, enganar, traficar, fazer uso de drogas, enfim, estes atos são escolhas nossas que teremos que colher no futuro. Pensemos nisso!

Texto de Rudymara




sábado, 24 de março de 2018

REPROGRAME SUA VIDA



Como diz o Espírito Hammed: 
“Nasceste no lar que precisavas.
Vestiste o corpo físico que merecias.
Moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento.
Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades, nem mais nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.
Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização.
Teus parentes e amigos são as almas que atraístes, com tuas próprias afinidades.
Portanto, teu destino está constantemente sobre teu controle.
Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas, tudo aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes, são as fontes de atração e repulsão na tua jornada vivencial.
Não reclames nem te faças de vítima. Antes de tudo, analisa e observa. A mudança está em tuas mãos.
Reprograme tua meta. Busque o bem e viverás melhor.”
Portanto, ninguém nasce no lugar errado; ninguém está injustiçado por passar por dores e aflições. O ensinamento do Mestre Jesus é claro A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS ou O PLANTIO É LIVRE MAS A COLHEITA OBRIGATÓRIA, nós é que não damos ouvidos e continuamos plantando dores e aflições e querendo colher felicidades e alegrias. Como disse Emmanuel: "Hoje é sempre o dia de fazer o melhor que pudermos. Amanhã, invariavelmente é o dia do resultado de nossas próprias ações..." Então, ninguém é coitadinho neste mundo. Quem nasce neste planeta está passando por prova ou expiação, raros são missionários. Por exemplo: O inimigo do passado pode voltar em nossa família, como nosso irmão, filho e outros, para que façamos as pazes. O ódio entranhado nos sentimentos pode fazer que venhamos siameses para que, juntos, aprendamos a conviver melhor. A mulher que descarta um filho através do aborto poderá renascer estéril, angustiada por não poder ser mãe. Quem faz uso de bebidas alcoólicas poderá renascer com cânceres e outros problemas no órgão afetado pelo álcool. Quem usa mal sua inteligência pode retornar com deficiência mental. Suicidas poderão retornar com autismo ou deficiência na parte que lesou como: surdez, anencefalia e outros. Fumantes poderão renascer ou desenvolver câncer no pulmão, enfisema, asma e outros. Um homem que humilhou uma mulher (ou mulheres) em encarnação passada pode estar hoje encarnado num corpo de mulher para sentir o que uma mulher sente para aprender a respeitá-la e, vice-versa. Muitos senhores de escravos encarnaram escravos. Quem discriminou pode ter nascido no lado que discriminou para aprender como é difícil se sentir discriminado. O rico poderá nascer pobre e, vive versa, para que ambos saibam lidar com o dinheiro ou com a falta dele. Então, a lei da reencarnação nos ensina, aos poucos, de encarnação a encarnação a respeitar, a não discriminar, a não humilhar, a dividir, a ser solidário, enfim, a fazermos ao próximo o que queremos que ele nos faça. Pensemos nisso e mudemos nosso futuro reencarnatório, HOJE. Como disse Chico Xavier: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.”



Texto de Rudymara



SOMOS VÍTIMAS DE NÓS MESMOS




Em O livro dos Espíritos, questão 815, Kardec questiona os Espíritos: “Qual das duas provas é a mais terrível para o homem, a miséria ou a riqueza?” E os mentores respondem: “Tanto uma como outra; a miséria provoca a lamentação contra a Providência e sociedade; a riqueza estimula todos os excessos.”
Uma leva aos exageros e a outra pode provocar a rebeldia ou a revolta, levando o indivíduo atribuir à Deus e á sociedade a causa de seus próprios males. Costumamos ouvir: “Por que meu vizinho nasceu em lar abastado, tem facilidades de todos os tipos e eu passo por privações do mínimo necessário? A resposta é encontrada em o próprio O Livro dos Espíritos, questão 814: “Por que Deus deu a uns riquezas e poder e a outros a miséria? Para experimentar cada um de maneiras diferentes. Aliás, vós já o sabeis, essas provas foram os próprios Espíritos que escolheram e, muitas vezes, nelas fracassam.”
Como diz o Espírito Hammed: 
“Nasceste no lar que precisavas.
Vestiste o corpo físico que merecias.
Moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento.
Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades, nem mais nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.
Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização.
Teus parentes e amigos são as almas que atraístes, com tuas próprias afinidades.
Portanto, teu destino está constantemente sobre teu controle.
Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas, tudo aquilo que te rodeia a existência.
Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes, são as fontes de atração e repulsão na tua jornada vivencial.
Não reclames nem te faças de vítima. Antes de tudo, analisa e observa. A mudança está em tuas mãos.
Reprograme tua meta. Busque o bem e viverás melhor.”
Kardec perguntou aos Espíritos: 
- Quando o homem se acha, de certo modo, mergulhado na atmosfera do vício, o mal não se lhe torna um arrastamento quase irresistível?
Resposta dos Espíritos: “Arrastamento, sim; irresistível, não; porquanto, mesmo dentro da atmosfera do vício, você sempre se depara com grandes virtudes. São Espíritos que tiveram a força de resistir e que, ao mesmo tempo, receberam a missão de exercer boa influência sobre os seus semelhantes.”
Ou seja, no mundo em que vivemos e no local em que convivemos encontramos bons e maus exemplos, cabe a nós escolhermos, utilizando nosso livre arbítrio, o lado que seguiremos. Como está na questão 121: “Deus não criou Espíritos maus; criou-os simples e ignorantes, ou seja, tão aptos para o bem quanto para o mal; os que são maus, assim se tornaram por sua vontade...”
Na questão 754, Kardec pergunta: "A crueldade não derivará da carência de senso moral?" Os Espíritos responderam: “...não digas da carência, porque o senso moral existe, como princípio, em todos os homens. É esse senso moral que dos seres cruéis fará mais tarde seres bons e humanos...” Kardec complementa dizendo: “...a sobre-excitação dos instintos materiais (ganância, orgulho, vaidade, egoísmo) abafa, por assim dizer, o senso moral..."
Por isso Kardec escreveu: “É pela educação (moral), mais do que pela instrução, que se transformará a humanidade”. Muitos perguntarão: "Então, os delinquentes não devem ser punidos, já que eles não desenvolveram o senso moral?" A resposta está na questão 796 do O livro dos Espíritos: “Uma sociedade pervertida certamente precisa de leis severas. Infelizmente, essas leis mais se destinam a punir o mal depois de feito, do que a lhe secar a fonte. Só a educação (moral) poderá reformar os homens, que, então, não precisarão mais de leis tão rigorosas.” 
Portanto, enquanto não desenvolvermos o senso moral, precisamos ter leis severas que punam a delinquência e, em conjunto, ajudarmos nossos irmãos a desenvolverem o senso moral. Por isso encontramos muitas pessoas instruídas sem senso moral e muita gente sem instrução de moral ilibada. Pobres que, inconformados com a pobreza roubam, enganam, assaltam, traficam para enriquecer. E o rico, além dos excessos e egoísmo que o dinheiro proporciona, muitas vezes ele busca ficar mais rico e, as vezes, de forma ilegal. Ambos buscam os tesouros da Terra e se esquecendo do tesouro mais importante, que é o tesouro do Céu. Pensemos nisso!

Rudymara





MARIA BONECA E CHICO XAVIER



No início da década de 70, Chico Xavier saboreava um cafezinho em conhecido estabelecimento comercial, na Praça Rui Barbosa, em Uberaba, em companhia do Dr. Jarbas Varanda e de seu filho Luciano Varanda, quando eles percebem a aproximação de uma senhora, conhecida sob a alcunha de Maria Boneca, vivendo no clima de uma loucura pacífica, mas que chamava a atenção de toda a comunidade. Muitas pessoas a ridicularizavam e brincavam com sua insanidade, já que Maria Boneca retinha, entre os braços, uma boneca que considerava como filha.
Maria Boneca, ao perceber a presença de Chico no interior do estabelecimento afasta-se daqueles que a ridicularizam e dirige-se ao seu encontro. E, fato inusitado, ao se aproximar de Chico, ela recupera temporariamente sua lucidez e conversa com o Chico naturalmente, como se fossem grandes amigos. Ao se despedir, abraça o inesquecível amigo, beija-lhe as mãos e se afasta. Do lado de fora do estabelecimento, ela volta a ser a Maria Boneca de sempre, vivendo em suas próprias imagens mentais.
Chico, com toda a espontaneidade, relata ao Dr. Jarbas:
- Como somos abençoados, acabo de ser abraçado por uma rainha de França.
Algum tempo depois, o livro intitulado “Mãe” traz um poema do Espírito de Epiphanio Leite, em mensagem psicografado por Chico Xavier, retratando o drama de Maria Boneca cujo conteúdo retratamos abaixo:
MARIA BONECA
Epiphanio Leite
(Versos dedicados à dama feudal que abraçamos por devotada amiga, há três séculos, e que hoje expia, na via pública, sob a alcunha de Maria Boneca, o delito de haver exterminado o filho jovem que lhe estorvava a existência de irresponsabilidade e prazer.)
Reencontrei-te, por fim, esmolando na rua. 
Nada recorda em ti a dama do castelo. 
Lembro-me!... Dás à fossa o filho louro e belo.
Esqueces, gozas, ris... E a festa continua...
Depois, a morte vem... A memória recua... 
Escutas em ti mesma o trágico libelo. (acusação) 
Choras, nasces de novo e trazes por flagelo 
A sede de ser mãe que a demência acentua!...
Como dói ver-te agora os tristes olhos baços! (q não possui brilho)
Guardas, louca de amor, um boneco nos braços.
Em torno, há quem te apupe (vaie) a trilha merencória... (melancólica)
Mas bendize, senhora, a lei piedosa e austera.
Alguém vela por ti: o filho que te espera 
E há-de levar-te aos Céus em cânticos de glória!...



OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Um espírito que, para viver as alegrias passageiras do mundo, abortou, jogando-o na fossa, para que ele não a atrapalhasse. Depois da morte física a memória vem a tona trazendo remorso e acusação causando muito sofrimento no plano espiritual. Até que ela reencarna com perturbações mentais causada pelo remorso e acentuada no corpo carnal pelo desejo de ser mãe e não poder. Por isso, ela perambulava pelas ruas com uma boneca nos braços , sem brilho nos olhos, ouvindo chacotas de quem, sem piedade, a humilhava. Mas, ela deveria aceitar a lei divina que é piedosa, por dar oportunidade de reparação, e implacável porque é necessário colher o que plantamos. Aceitar sem se revoltar faz com que ela seja recebida após a desencarnação pelo filho que a espera para dizer a ela: "alegra-te, resgataste com louvor seu delito, venha se deleitar em um lugar melhor."




DINHEIRO



O dinheiro não compra o Céu, entretanto, pode gerar a simpatia na Terra, quando utilizado nas tarefas do Bem.
Não paga a boa vontade, mas semeia o benefício e o prazer de viver, se nossa alma permanece voltada para a Divina Inspiração;
Não é fator absoluto de alegria ou felicidade, mas pode ser o remédio ao doente, o leite à criancinha desamparada, o pão ao sem lar.
Não é gerador de luz, mas pode estender a fonte das ideias de consolação e de amor.
Não é a base da harmonia, mas, muitas vezes, consegue devolver a tranquilidade a corações paternos desalentados e a lares infelizes, quando nos inclinamos para a solidariedade.
Não deixes que ele te tome o coração, qual despótico senhor, e, sim, conduzamo-lo através da utilidade, entendimento e cooperação, segundo a lei de fraternidade que nos reúne.
Não esquecendo que Jesus abençoou o vintém da viúva, empreguemos o dinheiro para o bem, convertendo-o em colaborador do Céu em todas as situações e dificuldades da Terra.


.Emmanuel / Médium Chico Xavier




TÁTICA DOS OBSESSORES



Precisamos tomar cuidado para não deixarmos o sentimento de disputa, inveja, orgulho, tomem conta de nossos sentimentos a ponto de abalar amizades, um trabalho social, laços familiares e outros. Há espíritos, encarnados e desencarnados aproveitando nossas baixas vibrações, ocasionados pelos nossos sentimentos negativos, nos incitando à rivalidade, à briga, discussão, separação e até violência. Como explica Therezinha Oliveira: "Os Espíritos podem ver tudo que fazemos, porque estão constantemente nos rodeando. “Estamos cercados por uma nuvem de testemunha” como disse o apóstolo Paulo. Mas, só vêem aquilo que lhes interessa e nas pessoas que estão na sua sintonia.Eles conhecem nossos mais secretos pensamentos, chegam a conhecer o que desejamos ocultar de nós mesmos. Os Espíritos levianos que nos rodeiam riem das pequenas peças que nos pregam e zombam das nossas falhas. Os Espíritos sérios se condoem dos nossos erros e procuram nos ajudar. Os Espíritos influem em nossos pensamentos, de uma tal maneira, que, muitas vezes, são eles que nos dirigem. Os nossos pensamentos chegam a se misturar com o pensamento dos Espíritos, nos causando uma incerteza, são duas idéias e se combaterem. A influência ocorre também durante o sono. Sem a proteção da armadura de carne que inibe as percepções espirituais das criaturas humanas, os obsessores conversam, à vontade com elas. 'Dize-me como és e te direi com quem andas.' " Portanto, oremos mas também vigiemos nossos atos, palavras e pensamentos para não cairmos em tentação. - 


Texto de Rudymara 




PRESERVAR PARA NÃO FALTAR


RESPONSABILIDADE NO QUE DIZEMOS E ESCREVEMOS



 Isto inclui os sermões, palestras, músicas, comícios e outros...

MEU PAI ERA RACISTA



Grupo de Estudo "Allan Kardec", venho contar uma história da minha infância, neste dia internacional contra a discriminação racial. Meu pai teve uma infância muito difícil, foi criado pela tia que era dona de um prostíbulo. Ela era severa, segundo contou meu tio, irmão de meu pai. Comportamento de pessoas da época. Ela cuspia no chão e dizia: "vá e faça o que estou mandando, se este cuspe secar e você não tiver de volta, vai apanhar." E apanhava mesmo. Ele era retraído, tinha apenas um amigo. Nunca contou ou falou de sua infância. Casou-se com minha mãe e teve os filhos, dentre eles eu, a única menina e raspa do tacho, como diziam os mais velhos. Ele era militar, preconceituoso e costumava ser severo com os presos. Até que um dia resolveu estudar sozinho leis penais. Ele conhecia tanto de leis que me lembro de advogados o procurando para tirar dúvidas. Ele fazia documentos dentro e fora do batalhão reivindicando direitos às viúvas de militares, sem cobrar nada, mesmo depois de aposentado. Foi aí que ele deixou de ser preconceituoso e violento com os presos. Ele dizia que racismo e desrespeito com os presos era ignorância. Racismo ele aboliu de sua vida graças a doutrina espírita que também passou a fazer parte de seus estudos e a violência foi graças aos estudos da lei. Ele dizia: "Aquele coitado que eu prendia porque fazia arruaça por causa da pinga, era quem pagava meu salário." Um dia, ele me deu uma boneca, e ela era de plástico duro e na cor preta. Eu amava aquela boneca. Era uma maneira dele me dizer: "Não seja racista." Hoje, conversando sobre racismo, minha mãe lembrou dessa boneca e eu achei interessante contar a vocês. O boneco era como esta da foto. Deu saudade. Que Deus abençoe meu pai onde ele estiver.

Rudymara





FLEXIBILIDADE



Todo comportamento extremista responde por danos imprevisíveis e de lamentáveis conseqüências, por sustentar-se na intolerância e no desrespeito à inteligência e ao discernimento dos demais.
A consciência equilibrada busca sempre o comportamento mais saudável, expressando-se de maneira gentil, mesmo nas circunstâncias mais severas e afligentes.
A flexibilidade é medida de cometimento edificante pela faculdade de compreender a postura do outro, aquele que nem sempre sabe expressar-se ou agir como seria de desejar, mas, nada obstante, pensa e tem idéias credoras de respeito e de consideração, que devem ser levadas a sério.
Quando se assume uma atitude de dureza, destrói-se a futura floração do bem, porque nenhuma idéia é irretocável de tal maneira que não mereça reparo ou complementação, e diversas mentes que elaboram programas são mais eficazes que apenas uma.
Ademais, essa imposição representa alta presunção decorrente da vaidade de deter-se o conhecimento total ou mesmo a verdade plena.
Quando se age dessa maneira, gera-se temor e animosidade pelo bloquear das possibilidades dos demais, igualmente portadores de faculdade de pensar, de discernir.
Uma atitude flexível contribui para o somatório das realizações dignificantes que são confiadas a todos.
Embora reconhecendo o equívoco da mulher surpreendida em adultério, o Mestre foi-lhe flexível, dando-lhe nova oportunidade, embora não concordasse com a sua conduta desrespeitosa aos estatutos morais e legais.
Entre dois ladrões no momento extremo, solicitado por um deles que se arrependera da existência de dislates, concedeu-lhe a benção da esperança de que também alcançaria o paraíso...
Obras expressivas e honoráveis de serviço social e de edificações do bem no mundo, soçobram e desaparecem em ruínas, quando alguns dos seus membros apresentam-se detentores de inflexibilidade em suas proposituras e comportamentos diários.
A harmonia do conjunto exige que todos contribuam com a sua parte em favor do equilíbrio geral, mesmo que, ceda agora, a fim de regularizar no futuro.
Se alguém discorda, discrepa e mantém-se inflexível na sua óptica, ocorre o desastre no grupo, que se divide, dando lugar a ressentimentos e queixas, amarguras e dissabores.
Assevera antiga sabedoria oriental milenária que a floresta exuberante cresce em silêncio e discrição, mas quando tomba alguma árvore é com estrondo que o faz, como a significar que o bem, o lado edificante de tudo acontece com equilíbrio, enquanto que a queda e a destruição, sempre se dá de maneira ruidosa e chocante.
Todo grupamento humano necessita do contributo valioso da tolerância, da paciência, da compreensão.
A prepotência é geradora de desmandos e tormentos incalculáveis, que poderiam ser evitados com um pouco de fraternidade...
Sê flexível, mesmo que penses diferente, que tenhas idéias próprias felizes, e faculta aos outros também serem ouvidos e seguidos.
*
No vendaval, a árvore que não deseja ser arrancada verga-se, para depois retomar a postura.
Se pretender manter-se erecta, sofrerá a violência que a derrubará na sucessão das horas.
O bambu é um dos mais belos exemplos de flexibilidade, pois que recurva-se, submete-se com facilidade às imposições que lhe são dirigidas, sem arrebentar-se, mantendo-se vigoroso.
Consciente das responsabilidades que te dizem respeito, não te imponhas pela rigidez. Os teus valores morais serão a tua identificação e o cartão de crédito de tua existência.
Estás convidado a servir, não a estabelecer diretrizes estritas para os outros, especialmente se te encontras servindo na seara de Jesus, que sempre te proporciona chances novas, mesmo quando malbarataste aquelas que te foram anteriormente concedidas...
Fácil é ser inflexível para com o próximo, e difícil submeter-se a situação equivalente, quando se altera a circunstância e mudam-se os padrões apresentados...
Dialoga, ouve e abre-te a novos conceitos e proposituras, de forma que adquiras a faculdade da gentileza, indispensável ao êxito de todo e qualquer empreendimento humano.
No dia a dia da existência sempre ocorrem fenômenos inesperados que alteram a programação mais bem estabelecida, que exige mudanças de rumo, formulações novas e necessárias.
O imprevisto é uma forma de intervenção das Leis Soberanas, que ensejam diferente opção para o comportamento saudável.
Não sejas desse modo, aquele que cria embaraços, embora as abençoadas intenções de que te encontras revestido.
Todos são úteis numa equipe e importantes no conjunto de qualquer realização.
Sê, portanto, dócil e acessível, porque sempre há alguém mais adiante, portador de aspereza que suplantará a tua com certeza.
Nunca sentirás prejuízo por ceder em favor do bem comum, da ordem geral, abrindo espaço para outras experiências e atitudes.
*
A flexibilidade é dileta filha do amor que se expande e enriquece a vida com esperança e paz.
Todos aqueles que se fizeram temerários e se impuseram, não fugiram de si mesmos, do envelhecimento, das enfermidades, da desencarnação.
Pacientemente e com flexibilidade Jesus espera por ti e te inspira sem descanso.
Medita e age conforme gostarias que assim procedessem em relação a ti.


(Texto extraído do Livro “REJUBILA-TE EM DEUS”, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ditado por Joanna de Ângelis.)




TODOS PODEM SER ÚTEIS



O policial Lauro Miller, de 28 anos, que trabalha há sete anos na região noroeste paulista, conta que patrulhava o bairro Pevi 2 quando viu um cachorro, muito magro e debilitado. "Quando vi o cachorro quase sem condições de se levantar e passando fome, sabia que precisava fazer algo e tentei ajudar da minha forma. É um minuto que você 'perde', mas que eu faria por qualquer um", diz Miller.
Comovido com a situação, o policial foi até uma casa de ração e, com apenas R$ 3, alimentou o cão. "Quando ele viu a ração, correu até mim e comeu tudo. Naquele momento não tinha condições de tomar alguma providência ou acionar alguma ONG, queria apenas alimentá-lo. O cachorro fugiu logo depois, mas espero que as autoridades o encontrem e que ele tenha um destino correto", comenta.
O PM Ederson do Passos Gropo, que acompanhava Miller durante o patrulhamento, achou a atitude nobre e tirou uma foto. Para incentivar atitudes como esta, Miller acabou compartilhando a imagem em sua página no Facebook. "Eu coloquei na internet porque eu queria incentivar as pessoas a fazerem o mesmo, não custa nada ajudar. Muitas vezes vemos cenas assim e achamos que não podemos ajudar, mas com pouco podemos, sim", diz.
Como disse Emmanuel: "Não te digas incapaz, nem te digas inútil. Auxilie como puderes."

Rudymara




quarta-feira, 21 de março de 2018

O CASO MARIELLE




Muitos escreveram perguntando o que acho da morte da vereadora Marielle. Com certeza não sou a favor da violência em hipótese alguma. Precisamos aguardar as investigações para saber a causa, embora nenhuma causa justificará tal crime, nem o dela e de seu motorista e nem de tantos outros que desencarnam, quase que diariamente, executados pelo tráfico de drogas, como os policiais, os que devem para o tráfico e os que se colocam contra ele. Executados também por assaltantes, pelos maridos ou pais violentos, pelos homofóbicos, pelos preconceituosos, pelos fanáticos esportivos e outros tantos. E o problema da comoção não é o excesso na morte da vereadora e a falta dela nas outras mortes. Enfim, sou a favor de algumas de suas lutas, mas não sou a favor de outras, como por exemplo: modificar a polícia militar, a legalização do aborto e das drogas. 
Como falar em colocar um fim na violência sendo violento, ou seja, matando um feto que está sendo gerado? Para nós espíritas tem um espírito ligado àquele feto que aguarda a oportunidade de encarnar para passar por uma prova ou uma expiação. Como falar em paz se a grande causa da violência no Rio e em outros lugares do Brasil e do mundo são as drogas? Os que vendem e os que usam serão responsabilizados pela lei divina. Os usuários são suicidas indiretos e os que vendem os protagonistas de tal ato. Como pedir segurança se querem modificar a forma de trabalhar da polícia? Falam de uma polícia humanizada, mas a polícia humanizada das UPPs estão trabalhando há anos nas favelas e não deu certo. Eles morrem a cada 58 horas no Rio em serviço e fora dele. Para dar certo é preciso humanizar e desarmar os traficantes e delinquentes em geral. A mídia mostra a polícia como um monstro sem mostrar o monstro que ela enfrenta diariamente. O problema não é a polícia é com quem ela lida. Nos coloquemos no lugar dela. Pensemos que, se fosse um filho(a) ou parente nosso estaríamos pensando diferente. Estaríamos apreensivos cada vez que ele saísse para o trabalho. E as drogas? Mesmo que libere as drogas a violência continuará. As drogas, geralmente, envolvem a família, a sociedade e torna-se envolvido com a criminalidade, pois quando este fica sem condições financeiras para adquiri-la, a consegue através de pequenos e grandes furtos, assaltos, muitas vezes, seguidos de mortes. Chegam a matar familiares para obter algo que possam vender e sustentar seu vício. Então, respeito quem pensa diferente de nós espíritas, mas nossa visão é espiritual. Para nós a vida não acaba no túmulo e não começa no berço. Por morarmos num planeta que abriga espíritos ignorantes e rebeldes, como disseram os espíritos à Kardec, estamos sujeitos a todos tipos de morte, embora ninguém nasça para matar ou desencarnar assassinado. Quem mata apenas usou mal o seu livre arbítrio. Ninguém é coitadinho neste mundo. Estamos aqui passando, ás vezes, por tristezas, dores, aflições e, até humilhações, porque precisamos aprender alguma coisa. Nossos plantios geram colheitas que, se não colhermos nesta encarnação, colheremos em outra e, se estamos colhendo nesta encarnação é porque plantamos na anterior. Então, quem é cristão, precisa ter sua causa baseada na causa cristã. Embora respeitemos o livre arbítrio de quem pensa e age diferente de nós. Portanto, que Deus ampare essa moça e, também seu algoz, pois ele (ou eles) responderá pelo crime, se fugir da lei dos homens, com certeza não fugirá da lei divina.

Rudymara





segunda-feira, 19 de março de 2018

PRECISAMOS COMBATER O QUE REALMENTE CAUSA A VIOLÊNCIA



No começo do ano passado (2017) houve uma greve de policiais no Espírito Santo. Muitas pessoas saíram assaltando, roubando, matando, saqueando lojas e supermercados. Por que? Será que precisamos de policiais para dizer quais são os nossos limites? Sim, ainda precisamos de policiamento sobre nossos atos, porque somos habitantes de um mundo de provas e expiações, onde a maioria, como disseram os espíritos à Kardec, ainda são maldosos, ignorantes e rebeldes à lei divina. E o efeito dessa rebeldia é a punição pela lei dos homens e pela correção, através de prova ou expiação, pela lei de Deus. Um dia, quando evoluirmos moralmente, nossa consciência será o sinalizador dos nossos limites. Como está na questão 796 do O livro dos Espíritos: “Uma sociedade pervertida certamente precisa de leis severas. Infelizmente, essas leis mais se destinam a punir o mal depois de feito, do que a lhe secar a fonte. Só a educação (moral) poderá reformar os homens, que, então, não precisarão mais de leis tão rigorosas.” Mas, enquanto isso não acontece, respeitemos os profissionais militares. Sabemos que dentro dessa e de todas as profissões há péssimos profissionais. Mas, não devemos generalizar. Eles deixam seus lares, quando saem para o trabalho, sem saber se irão voltar para tentar nos proteger. Muitas vezes não fazem mais por falta de recurso e apoio da lei. No Rio de Janeiro morre um policial a cada 58 horas, em serviço e fora dele. Muitos morrem em combate e outros porque não se vendem ao tráfico. Traficantes estão matando, executando, desestruturando famílias, sociedade e formando delinquentes. Lutam entre eles por ponto de drogas. Cercada por 18 favelas, a Linha Vermelha se tornou alvo frequente da violência. Assaltos, tiroteios e apedrejamentos tornam os engarrafamentos no local cada vez mais perigosos. Bandidos passam com arma de um lado para o outro após roubar alguém. Então, o que precisamos pensar é que, ainda precisamos da polícia. É ela que, ainda, nos dá um pouco de segurança. Mas tem quem queira desmilitalizar a polícia, desarmá-la, desmoralizá-la e, quer também, legalizar o que mais causa morte e violência no país: as drogas. Não adianta querer paz se não combatermos o que causa, realmente, a violência. Como disse Chico Xavier: “Eu não sei como as autoridades competentes não resolvem o problema das drogas, que, em última análise, diz respeito a todos... Quem é que não tem hoje, próximo ou distante, um parente envolvido com elas?! Tenho escutado muitos pais, muitas mães, muitos avós... Nos Estados Unidos, as drogas praticamente estão comprometendo uma geração. Devemos combater, com veemência, este problema: nas escolas, nos ambientes de trabalho e, sobretudo, nos lares... Não podemos assistir, impassíveis, aos nossos jovens sendo vítimas de traficantes. A propaganda contra as drogas ainda é muito tímida. De meia em meia hora, a Televisão deveria combater o problema, o rádio, o jornal... Os livros escolares deveriam, no processo de alfabetização, já começar esclarecendo a criança contra o perigo das drogas – um “vírus” que tem matado mais gente que os agentes viróticos mais violentos. A propaganda contra o uso de drogas tem que ser maciça – nos intervalos dos “shows”, nas partidas de futebol, nas missas, nas reuniões espirituais...” 
Portanto, precisamos defender esta causa, a causa do bem. Neste momento de transição que o planeta está passando estão querendo nos impor que o errado é certo e que o certo é errado. Fiquemos atentos. Precisamos ser os soldados do exército de Deus onde nossa arma é a educação moral. Nosso inimigo é tudo aquilo que nos faz mal ao corpo e ao espírito como: as drogas lícitas e ilícitas, o ódio, o revide, a agressão física e verbal, o egoísmo, o orgulho e tantos outros. 
Pensemos nisso! 


Texto de Rudymara






sábado, 17 de março de 2018

O DIFERENTE


Quando olhamos para alguém diferente de nós esse alguém está olhando para nós e também vendo uma pessoa diferente dele. Diferente não significa pior ou melhor que nós. Como disse Lacordaire no O Evangelho segundo o Espiritismo: "Todos os homens são iguais na balança Divina e só AS VIRTUDES nos distinguem aos olhos de Deus." Na balança divina Deus não levará em conta a cor da nossa pele, nossa posição social, nossa religião, o time de futebol que torcemos, se fomos hetero ou homo, homem ou mulher, mas sim as virtudes que abrigamos dentro de nós. Só o orgulho faz com que nos achemos mais, ou melhor, que nossos irmãos. Certa vez um jovem chamou Jesus de "bom homem" e o que foi que ele respondeu? 
- Bom é só Deus que está no céu.
Então, olhemos para "o diferente" de forma diferente, com tolerância, com respeito, com o mesmo sentimento que queremos que ele sinta e demonstre por nós. E, ensinemos nossos filhos a fazer o mesmo. 
Pensemos nisso!


Rudymara




quinta-feira, 8 de março de 2018

AMA-TE



"Ama-terespeitando-te, e agindo de maneira que não te envergonhes de ti mesmo quando submetido ao crivo da consciência." 

                                                       Joanna de Ângelis





EDUQUEM OS MENINOS


Muitas famílias criam seus filhos como "machos" ao invés de "homens", como “bodes” que podem "pegar" todas as "cabras" desde que outros bodes não peguem uma cabra fêmea da sua família. Muitos pais apontam uma mulher para o filho e diz "olha que gostosa", estimulando o filho a olhar para uma mulher como um pedaço de carne que só serve para satisfazer sua "fome", enfim, onde mulher é vista como inferior a ele, que foi feita para satisfazer seu instinto sexual e onde não são cobrados como ela é. Pais, lembrem-se que, as crianças são espíritos velhos em corpos novos. Cuidado com o que dizem e ensinam a eles. Vocês podem estar relembrando erros do passado ou estimulando que desrespeitem as mulheres no presente. Enfim, se queremos mudança de comportamento dos homens em relação as mulheres é preciso um esforço dos pais em ensiná-los.

Rudymara



A DIGNIDADE DA MULHER


O feminismo, no bom sentido, é perfeitamente louvável, quando proclama a dignidade da mulher, os seus valores e os seus direitos, não, porém, quando conclama à disputa de papéis que ao homem cabe desempenhar; ou ao direito ao aborto criminoso, como meio de afirmação, derrapando em lamentável delito, ou na liberação da sexualidade, escravizando-se ao instinto e rolando no paul de suas mais vis dependências; ou da aceitação dos vícios e condicionamentos inferiores que ao homem tem amesquinhado através dos séculos e de que se deveria libertar, sem que o lograsse até este momento.

Joanna de Ângelis


MULHER É ASSIM


Mulher é assim: o relógio se assusta quando vê que conseguimos fazer mil coisas em tão pouco tempo. Que apenas uma de nós faz papel de muitas e que, muitas vezes, sem diplomas desempenhamos muitas profissões: psicóloga, médica, condutora de van escolar, professora, babá, cozinheira, etc etc etc, e ainda arrumamos tempo para academia, facebook, marido, e muito mais. Enfrentamos as dores mensais, do parto e, muitas vezes, a dor do preconceito, da discriminação, do desrespeito, da violência, mas estamos sempre em pé, esperando o próximo desafio. Somos tão dinâmicas, responsáveis, fortes, amorosas, sensíveis, versáteis, que Deus nos confiou mais uma tarefa: A MATERNIDADE. Esta somos nós, mulheres. 

Rudymara