segunda-feira, 21 de agosto de 2017

ISSO NÃO É ESPIRITISMO



Hoje, 21/08/2017, encontrei esse folheto na porta da minha casa. Amassei e estava quase jogando fora, mas resolvi postar aqui para esclarecer que, esta pessoa não é espírita, é espiritualista. Todo espírita é espiritualista (porque crê em algo além da matéria), mas nem todo espiritualista é espírita (porque não segue os ensinamentos trazidos pelos espíritos através de Allan Kardec). O espírita, por exemplo, não cobra por qualquer ajuda que se proponha a fazer ao seu próximo. Seguimos a recomendação do Cristo que disse: "Dai de graça o que de graça recebestes." Também não jogamos búzios, não lemos carta de tarô, não fazemos e nem desfazemos qualquer tipo de trabalho espiritual realizado em casas espiritualistas. O Espiritismo não tem: dogmas, rituais, vestes especiais, cálice com vinho ou qualquer bebida alcoólica, incenso, mirra, fumo, altares com imagens, andores, velas, procissões, trabalhos espirituais, talismãs, amuletos, sacrifício animal, santinho, horóscopo, cartomancia, quiromancia, astrologia, numerologia, pagamento de promessas, despachos, riscos de cruzes e pontos, não tem curas espirituais milagrosas, fórmulas mágicas para resolver problemas sentimentais ou financeiros, etc. Respeitamos quem faz e quem procura tais consultas e trabalhos, porque devemos respeitar o livre arbítrio das pessoas. Mas, precisamos esclarecer que isso não é Espiritismo.

Rudymara 


O AUXÍLIO VIRÁ



O problema que te preocupa talvez te pareça excessivamente amargo ao coração.
E tão amargo que talvez não possas comentá-lo, de pronto.
Às vezes, a sombra interior é tamanha que tens a idéia de haver perdido o próprio rumo.
Entretanto, não esmoreças.
Abraça o dever que a vida te assinala.
Serve e ora.
A prece te renovará energias.
O trabalho te auxiliará.
Deus não nos abandonará.
Fazê silêncio e não te queixes.
Alegra-te e espera porque o Céu te socorrerá.
Por meios que desconheces, Deus permanece agindo.


Emmanuel



PAZ EM CASA


Compras na Terra o pão e a vestimenta, o calçado e o remédio, menos a paz.
Darte-á o dinheiro residência e conforto, com exceção da tranquilidade de espírito.
Eis porque nos recomenda Jesus venhamos a dizer, antes de tudo, ao entramos numa casa: "paz seja nesta casa".
A lição exprime vigoroso apelo à tolerância e ao entendimento.
No limiar do ninho doméstico, unge-te de compreensão e de paciência, a fim de que não penetres o clima dos teus, à feição de inimigo familiar.
Se alguém está fora do caminho desejável ou se te desgostam arranjos caseiros, mobiliza a bondade e a cooperação para que o mal se reduza.
Se problemas te preocupam ou apontamentos te humilham, cala os próprios aborrecimentos, limitando as inquietações.
Recebe a refeição por bênção divina.
Usa portas e janelas, sem estrondos brutais.
Não movas objetos, de arranco.
Foge à gritaria inconveniente.
Atende ao culto da gentileza.
Há quem diga que o lar é ponto do desabafo, o lugar em que a pessoa se desoprime. Reconhecemos que sim; entretanto, isso não é razão para que ele se torne em praça onde a criatura se animalize.
Pacifiquemos nossa área individual para que a área dos outros se pacifique.
Todos anelamos a paz do mundo; no entanto, é imperioso não esquecer que a paz do mundo parte de nós.


Emmanuel



LUGAR DEPOIS DA MORTE




Muitas vezes perguntas, na Terra, para onde seguirás, quando a morte venha a surgir... 
Anseias, decerto, a ilha do repouso ou o lar da união com aqueles que mais amas... 
Sonhas o acesso à felicidade, à maneira da criança que suspira pelo colo materno... 
Isso, porém, é fácil de conhecer. 
Toda pessoa humana é aprendiz na escola da evolução, sob o uniforme da carne, constrangida ao cumprimento de certas obrigações; 
Nos compromissos no plano familiar; 
Nas responsabilidades da vida pública; 
No campo dos negócios materiais; 
Na luta pelo próprio sustento... 
O dever, no entanto, é impositivo da educação que nos obriga a parecer o que ainda não somos, para sermos, em liberdade, aquilo que realmente devemos ser. 
Não olvides, assim, enobrecer e iluminar o tempo que te pertence.
Não nos propomos nivelar homens e animais; contudo, numa comparação reconhecidamente incompleta, imaginemos seres outros da natureza trazidos ao regime do espírito encarnado na esfera física. 
O cavalo atrelado ao carro, quando entregue ao descanso, corre à pastagem, onde se refocila na satisfação dos próprios impulsos. 
A serpente, presa para cooperar na fabricação de soro antiofídico, se for libertada, desliza para a toca, onde reconstituirá o próprio veneno. 
O corvo, detido para observações, quando solto, volve à imundície. 
A abelha, retida em observação de apicultura, ao desembaraçar-se, torna, incontinenti, à colmeia e ao trabalho. 
A andorinha engaiolada para estudo, tão logo se veja fora da grade, voa no rumo da primavera.
Se desejas saber quem és, observa o que pensas, quando estás sem ninguém; e se queres conhecer o lugar que te espera, depois da morte, examina o que fazes contigo mesmo nas horas livres.



(Do livro "Justiça Divina", pelo Espírito Emmanuel, Francisco Cândido Xavier)




SIMPLICIDADE


OTIMISMO


LEIS SEVERAS


SOLUÇÃO PARA A VIOLÊNCIA


Qual a solução que a Doutrina Espírita apresenta para a violência tão crescente nas cidades? 

A educação. O Espiritismo, essencialmente educativo, conclama-nos ao amor e à instrução que poderão formar uma nova mentalidade entre os homens. A violência é o fruto espúrio da ignorância humana. Remanescente da agressividade animal, explode em a natureza graças às bases do egoísmo, o câncer moral que carcome o organismo social. O antídoto do egoísmo é o altruísmo (amor ao próximo,abnegação). Por conseqüência, a melhor maneira de tornar uma sociedade justa e altruísta é a educação das gerações novas. Sabendo que, através da educação, formaremos caracteres saudáveis, deveremos investir tudo nesta obra libertadora, que é uma das mais elevadas expressões da caridade.

Divaldo Franco



CHICO XAVIER FALOU SOBRE O PERIGO DAS DROGAS



Pedro Bial entrevistou Rita Lee e questionou sobre o uso de drogas. Ao citar a maconha como primeiro exemplo, ele foi interrompido por Rita que disse:
- Ah, você vai falar de maconha? Pensei que fosse falar de café, Coca-Cola, açúcar, álcool…
Sim, o único que ela citou e que também é droga e se assemelha às drogas proibidas é o álcool. O café, Coca-Cola, açúcar e tantos outros são prejudiciais à saúde, quando usado em excesso e só para quem abusa. Mas é preciso cuidar da alimentação também. Já as outras drogas fazem mal para quem usa, para a família e sociedade. Não vemos um Centro de Recuperação para esses produtos ou alguém alterado por abstinência a ponto de roubar, assaltar, ficar agressivo, matar. O noticiário mostra diariamente violências ligadas aos usuários de drogas lícitas e ilícitas. Famílias, sociedade e vidas destruídas por elas. Não vemos pessoas na açúcarlândia, Coca-Colândia, cafélândia... Como disse Chico Xavier: “Eu não sei como as autoridades competentes não resolvem o problema das drogas, que, em última análise, diz respeito a todos... Quem é que não tem hoje, próximo ou distante, um parente envolvido com elas?! Tenho escutado muitos pais, muitas mães, muitos avós... Nos Estados Unidos, as drogas praticamente estão comprometendo uma geração. Devemos combater, com veemência, este problema: nas escolas, nos ambientes de trabalho e, sobretudo, nos lares... Não podemos assistir, impassíveis, aos nossos jovens sendo vítimas de traficantes. A propaganda contra as drogas ainda é muito tímida. De meia em meia hora, a Televisão deveria combater o problema, o rádio, o jornal... Os livros escolares deveriam, no processo de alfabetização, já começar esclarecendo a criança contra o perigo das drogas – um “vírus” que tem matado mais gente que os agentes viróticos mais violentos. A propaganda contra o uso de drogas tem que ser maciça – nos intervalos dos “shows”, nas partidas de futebol, nas missas, nas reuniões espirituais...”
Portanto, tenhamos bom senso. Não nos deixemos influenciar por opinião de pessoas, mas pelas estatísticas, pelos fatos reais que constatamos diariamente. Podemos pensar por nós mesmos. Se maconha fosse inofensiva por ser uma planta, tomaríamos chá de cicuta sem medo de nos envenenar. Se fosse a "planta da paz" não tiraria a paz das pessoas. Elas usam e quando acaba o efeito já estão pensando em usar novamente. A droga passa a comandar a vida delas. Usemos a razão, o raciocínio. Lembremos que a lei é de causa e efeito, ou seja, tudo que causarmos ao nosso corpo físico ou à sociedade, de maneira direta ou indireta, prestaremos contas. Sejamos pessoas que divulgam o bem, colaboradores de um mundo melhor, sem drogas, sem pessoas se aproveitando do vício alheio, sem violência. Pensemos nisso!


Rudymara



MOMENTO DE LUZ



Se você está feliz, ore sempre, rogando ao Senhor para que o equilíbrio esteja em seus passos. 
Se você sofre, ore para que não lhe falte compreensão e paciência. 
Se você está no caminho certo, ore para que não se desvie. 
Se você está de espírito marginalizado, sob o risco de queda em despenhadeiros ou perigosos declives, ore para que o seu raciocínio retome a senda justa. 
Se você está doente, ore a fim de que a saúde possível lhe seja restituída. 
Se você tem o corpo robusto, ore para que as suas forças não se percam. 
Se você está trabalhando, ore pedindo a Deus lhe conserve a existência no privilégio de servir. 
Se você permanece ausente da atividade, ore, solicitando aos Mensageiros do Senhor lhe auxiliem a encontrar ou reencontrar a felicidade da ação para o bem 
Se você já aprendeu a perdoar as ofensas, ore para que prossiga cultivando semelhante atitude. 
Se você reprova ou condena alguém, ore rogando à Divina Providência lhe ajude a entender o que faríamos nós se estivéssemos no lugar de quem caiu ou de quem errou, de modo a aprendermos discernimento e tolerância. 
Se você possui conhecimentos superiores, ore para que não lhe falte a disposição de trabalhar, a fim de transmití-los a outrem, sem qualquer idéia de superioridade, reconhecendo que a luz de sua inteligência vem de Deus que no-la concede para que venhamos a fazer o melhor de nosso tempo e de nossa vida, entregando-nos, porém, à responsabilidade de nossos próprios atos. 
Se você ainda ignora as verdades da vida, ore para que o seu espírito consiga assimilar as lições que o Mais Alto lhe envia.
Ore sempre.
A oração é o momento de luz, nas obscuridades e provas do caminho de aperfeiçoamento em que ainda nos achamos, para o nosso encontro íntimo com o amparo de Deus.

André Luiz

MELHORE O MUNDO QUE EXISTE DENTRO DE VOCÊ


Muita gente quer que o mundo mude para melhor, mas poucos se melhoram. O mundo só irá melhorar quando melhorarmos o mundo que está dentro de nós. Precisamos de pessoas mais educadas, caridosas, tolerantes, pacíficas, honestas, com menos rancor, ódio, revide, falsidade, mentira, traição, enfim, que pense nas consequências de suas ações na sua vida, na das pessoas que convivem com ela e na do planeta. Não adianta exigir dos outros o que não conseguimos ser e viver. Como disse Gandhi: "precisamos ser a mudança que queremos ver no mundo." Tem uma frase que diz: "Faça o bem porque o mundo vai mal." Mas, será que a afirmativa não deveria ser assim: "O mundo vai mal porque não fazemos o bem?" Pensemos nisso!

Rudymara



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

CURA ESPIRITUAL NA CASA ESPÍRITA



Por que há Centro Espírita que tem trabalho de cura espiritual e outro não?


Na verdade, todo Centro Espírita possui um trabalho de cura muito bem montada através da FLUIDOTERAPIA, que são os passes e a água fluidificada e deveria ser o único.
O magnetismo tem poder de cura, o próprio Allan Kardec nos fala na Revista Espírita e nas obras da codificação. Antes de estudar fenômenos espíritas, ele estudou magnetismo por mais de 30 anos. O Espiritismo não faz milagres; unicamente descobriu algumas leis que regem os fluidos e as aplica em benefício da humanidade sofredora.
Os espíritos curadores se utilizam dos fluidos que os médiuns passistas irradiam para a produção das curas e manipulação dos remédios fluídicos.
Os que estão recebendo o passe deverão ligar seu pensamento ao alto, para ajudar a receptividade. De pensamento elevado, o magnetismo penetra mais facilmente. E de pensamento negativo, dificulta a penetração dos fluidos. Os doentes incuráveis (sabemos que nem todos receberão a cura) encontrarão profundo alívio no passe e na água magnetizada. 
Por que muitas pessoas se curam na casa espírita?
Muitas pessoas se curam na casa espírita, fazendo promessa na igreja católica, passando óleo ungido dos templos protestantes (evangélicos), com florais de Bach, cromoterapia, etc., porque "é a fé que os cura" Elas estavam receptivas aos fluidos trazido pelos trabalhadores de Deus que se encontram em todos os lugares e casas religiosas. Eles não olham a forma que a pessoa escolheu para se curar e nem a religião, eles apenas se aproveitam da receptividade dessa pessoa para realizar a cura. Lógico que observam o mérito da pessoa, a chance daquela cura despertar na pessoa a busca da saúde do espírito e o planejamento dessa pessoa, antes de encarnar. Pois, há quem peça, por exemplo, uma doença como prova. Por isso, é preciso esclarecer, aos frequentadores da Casa Espírita, que a cura não acontece em todos os casos. Ás vezes, o bem do doente está em continuar sofrendo. Devemos explicar, segundo a visão espírita, porque ficamos doentes, porque uns conseguem curar-se e outros não, etc. Para que os que não alcançarem a cura, não saiam decepcionados achando que o Espiritismo é uma religião de charlatães. Os Centros Espíritas precisam, ao lado do passe, propiciar os meios para que frequentadores conheçam a doutrina e se exercitem num trabalho íntimo de evangelização, para a conquista da saúde definitiva, que é a cura das chagas da alma.


Rudymara






terça-feira, 8 de agosto de 2017

LEI DE MERECIMENTO


Jesus disse: “A cada um segundo suas obras”, ou seja, cada um receberá segundo o que tenha feito. Esta frase fala de recompensa futura, nossos atos ditarão o que colheremos nessa ou na próxima encarnação. A lei divina não irá querer saber se erramos porque fomos excluídos, desprezados, humilhados, porque fomos pobres, dessa ou daquela raça, etc., mas, como nos comportamos nestas situações. Então, deixemos a condição de “coitadinho”, de “vítimas” e lutemos para mostrar que todos somos capazes, inteligentes, dignos em qualquer situação... Ninguém veste um corpo físico que seja alto ou baixo, com ou sem defeito, precisando usar óculos ou não, dessa ou daquela raça ou posição social, sem motivo. Tudo é teste e aprendizado. Precisamos passar por certas situações para podermos dar valor, para respeitarmos quem, talvez, desrespeitamos em outra encarnação, para aprendermos a utilizar o dinheiro sem egoísmo, sem uso inadequado ou viver sem ele sem revolta, sem buscá-lo de forma ilícita. Se um teve mais recurso ou oportunidade, é porque ele deveria estar ali recebendo aquilo. Deus não erra de endereço. Observemos que muitos que nasceram com menos recursos e oportunidades alcançaram o que muitos com recursos e oportunidades não conseguiram. Os que tem menos, é lógico, terão que lutar mais, mas nada é por acaso. Muitos pediram, antes de encarnar, para estar naquela situação (prova). Se não pediram a lei divina os colocou ali (expiação). O que não devemos é sentir pena de nós e escolhermos um caminho errado e colocarmos a culpa no Governo, na sociedade, etc. A lei divina não privilegia ou desprivilegia ninguém. Tudo está dentro da lei de causa e efeito ou plantio e colheita. Já a lei humana não é justa nem perfeita como a lei de Deus. Basta observarmos a lei que diz: "saúde é direito de todos e dever do Estado". Isto não é cumprido e ninguém é punido por não obedecê-la. E entre as pessoas, muitas vezes, a justiça também não acontece. Muitos que pedem igualdade ou justiça social, por exemplo, se fosse dono de uma grande empresa, e tivesse procurando uma pessoa para uma vaga administrativa em sua empresa, e entre os concorrentes tivesse um irmão(ã) menos qualificado para o cargo que os outros, quem será que esta pessoa contrataria? Será que esta pessoa avaliaria todos de maneira igual, com justiça? É fácil pedir ou exigir igualdade e justiça social para os outros. Então, precisamos entender que, ainda moramos num mundo de provas e expiações, ou seja, qualquer sofrimento que venhamos a enfrentar é uma prova ou uma expiação. Na prova somos nós que pedimos para passar por certas situações: para resgatar ou para acelerar a evolução. Na expiação é uma imposição da lei divina para que resgatemos algo que fizemos. Faz parte da nossa evolução. Somos espíritos endividados com a lei divina e, obviamente, falhos. Todos, ainda, cometemos injustiças. O que devemos fazer é, utilizar para o BEM o que Deus nos empresta para que, no futuro, venhamos com menos dívidas e, consequentemente, sofrendo menos. Não queiramos méritos sem esforço. Como disse Emmanuel: "Cada conquista é serviço de cada um. Deus não tem prerrogativas ou exceções.Toda glória tem preço. É a lei do mérito, da qual ninguém escapa."

Texto de Rudymara




sábado, 5 de agosto de 2017

CORDÃO FLUÍDICO OU CORDÃO DE PRATA


Cordão fluídico, como o nome diz, é um "cordão" que liga o perispírito ao corpo físico. Ele é essencial para a vida orgânica. Como explica André Luiz: "Ele assegura a perfeita realização das funções biológicas vitais durante o período do sono natural, quando então o espírito se desprende do corpo físico para interagir no mundo espiritual..." Então, quando dormimos ou nos desprendemos do corpo físico, viajamos para muitos lugares, esse cordão age como um elástico, estica sem o perigo de romper. O rompimento só acontece no momento da morte. Mas, após esse rompimento não há chance de reatar.

Rudymara



domingo, 30 de julho de 2017

QUAL A FINALIDADE DO ESPIRITISMO?


A finalidade do Espiritismo é auxiliar no progresso MORAL da humanidade. Então, embora ele precise de adeptos para ajudar nesta luta, ele não tem a intenção de converter ninguém. Muitos espíritas vivem pelo Espiritismo, mas nenhum vive dele. Nossa finalidade é colocar os ensinamentos cristãos na vida de quem frequenta as casas espíritas para que elas entendam quem são, o que estão fazendo aqui neste planeta, saber de onde vieram e para onde irão após a desencarnação. Para que busquem ser hoje melhores que foram ontem e que sejam amanhã melhores que estão sendo hoje. O mais importante para o espírita não é curar corpos, mas almas, ou seja, é a REFORMA ÍNTIMA, principalmente dele mesmo. Pois, com a melhora de cada um de nós, consequentemente, acontece a melhora do mundo. Como disse Kardec: "reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que faz para domar suas más tendencias." Então, nos esforcemos para viver o que pregamos e acreditamos.

Rudymara




sábado, 29 de julho de 2017

SER CRISTÃO



Ser cristão vai além de fazer músicas para Deus ou Jesus, usar crucifixo no pescoço e parede, usar camisetas ou adesivos com frases evangélicas, tatuar Jesus, Maria ou frases evangélicas no corpo, determinar o sábado sagrado, não ser favorável à transfusão de sangue, usar determinado tipo de roupa, não cortar cabelo, comungar, carregar imagens, não comer carne na sexta-feira santa, batizar, crismar, pagar dízimo, casar-se em templos, frequentar templos religiosos, decorar Bíblia e/ou as obras básicas da Doutrina Espírita, tomar passe e participar das festas religiosas. Ser cristão é transformar "Fé em obras", ou seja, acreditar Nele e não fazer o que Ele pediu é inútil. Jesus quer nos transformar em pessoas melhores. Mas para isso, precisamos estar dispostos a querer nos modificar. Ele nos estende a mão todos os dias, e nós estamos desviando de estender a nossa para Ele. Então perguntemos: "Como é a nossa fé?" "Com ou sem obras?" Se somos a luz do mundo, como disse Jesus, "como está a nossa luz, acesa ou apagada?" Pensemos nisso! 

Rudymara 



quarta-feira, 26 de julho de 2017

EVANGELIZE SEU FILHO

Meu filho aos 5 anos de idade dizia querer ser padre. Ele fazia coleção de santinhos. Ele não pedia "hominho" de presente (homem aranha, Batman, etc), mas estátuas de santos. Aprendeu a ver a hora para ouvir todos os dias as 15 hs pela rádio Aparecida a consagração de Nossa Senhora. Ele reunia a família todas a noites para rezar as preces católicas: ave Maria, Creio em Deus Pai, etc. Colecionava CDs do Padre Marcelo Rossi. O pai fez um altar de madeira e ele sentava os poucos bonecos que tinha nos bancos desse altar e celebrava missa. Enfim aquilo nos deixou surpresos, pois minha família é espírita. De onde veio essa vontade? De outra encarnação, não é? Então, fazíamos tudo que ele desejava. Ele queria ir á missa, à Aparecida do Norte, etc., e nós respeitávamos. Mas, a primeira comunhão católica começava aos 9 anos. Daí, eu disse a ele que o levaria para minha religião até que ele completasse os 9 anos, depois o levaria para a primeira comunhão. Ele aceitou e assim foi. Todos os sábados estávamos no centro espírita. Aos 9 anos o levei para iniciar a primeira comunhão e lá ele não se adaptou. Fazia muitas perguntas sobre a diferença de pensamento, não gostou de vender votos para arrecadar dinheiro para uma festa da paróquia. Até que um dia ele disse que queria voltar para a evangelização no centro espírita e que ele não era mais católico. Foi uma surpresa para todos, mas foi o que aconteceu. É isso. Enquanto ele não tinha madureza para escolher o que seguir, ele não ficou sem ouvir falar de Deus ou Jesus. E sempre conversávamos com ele sem impor nossa doutrina. Ele cresceu respeitando os colegas de escola, os animais e todos da família. Sempre colocávamos o respeito ao próximo, à família, a tudo que Deus criou. Sempre recebi elogio pela conduta dele, enfim, hoje ele é um rapaz de 24 anos que carrega muitos valores, sem vícios, respeitador, responsável. É essa a história de meu filho. Então, assim como meu filho trouxe a lembrança de outra encarnação para o lado do catolicismo, outros podem trazer para o lado da maldade, do vício, etc. Por isso é importante a religião na vida de nossos filhos. Eles são espíritos velhos em corpos novos. Nós pais temos o dever de ajudá-los ser hoje melhores que foram em outra encarnação. Se nos preocupamos com a saúde do corpo deles, nos preocupemos também com a saúde da alma. O corpo é perecível, morre a cada encarnação, mas o espírito tem vida eterna. E é nele que carregarão os ensinamentos que propiciarmos a eles. Pensemos nisso!

Texto de Rudymara




domingo, 23 de julho de 2017

MACONHA NA VISÃO ESPÍRITA




O Uruguai começou a vender, nesta quarta-feira (19/07/2017). Desde o início do dia centenas de pessoas de várias idades fizeram longas filas (foto) para adquirir maconha para uso recreativo.
Lendo essa notícia me assustei. Quantas pessoas numa fila para comprar algo que danifica a saúde e que diminui o tempo de vida, ou seja, quantos suicidas indiretos. Quem dera as pessoas estivessem dispostas a enfrentar uma fila para ser voluntário em algum trabalho social ou algo útil à sua vida e da sociedade. E usar esse dinheiro para algo mais edificante. 
Marilia Gabriela fez uma entrevista com Ronaldo Laranjeira, médico psiquiatra formado pela Escola Paulista de Medicina em 1982, com residência em psiquiatria pela mesma instituição. Fez o PhD em Psiquiatria na Universidade de Londres (Maudsley Hospital) no setor de Dependência Química. Atualmente é professor titular do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP, diretor do INPAD (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Políticas Públicas do Álcool e outras Drogas) do CNPq e coordena a UNIAD (Unidade de Pesquisas em Álcool e Drogas). Tem grande experiência na área de tratamento da dependência química e coordena uma série de cursos de especialização nessa área, com mais de 1.000 alunos do Brasil inteiro formados. Tem mais de 180 artigos científicos publicados. 
Ela perguntou a ele: A MACONHA É INOCENTE AO CORPO FÍSICO? Ronaldo Laranjeira respondeu: "A maconha vem recebendo á muitos anos uma imagem muito favorável, inofensiva. Esta é a cultura popular da maconha. Mas, do ponto de vista médico, está acontecendo o contrário. Há dez, doze anos atrás a maconha não era tão estudada. Os estudos atuais têm mostrado o quanto a maconha tem produzido bem mais transtornos mentais que a gente imaginava, a ponto de 10% dos novos casos de esquizofrenia ter ocorrido pelo uso da maconha." 
Marilia Gabriela: E O USO MEDICAMENTOSO? Ronaldo Laranjeira: "O uso medicamentoso é discutível. Tem alguns países que estão desenvolvendo isso, como os Estados Unidos. Mas, o uso medicamentoso não é o indivíduo fumar a maconha, é que alguns dos componentes da maconha poderiam ser usados em situações muito específicas para fins terapêuticos. Porque a maconha tem mais de 400 substâncias dentro da fumaça dela, é muito provável que alguém fumando tanta coisa vai ter um efeito terapêutico de um dos componentes. Talvez não tenha uma dose terapêutica desse componente. Então, faz parte da mística da maconha. Alguns componentes do cigarro, que são mais de 4000 substâncias, como a nicotina pode ser usada como medicamento. Mas, não poderemos indicar para a pessoa fumar cigarro para ter efeito medicamentoso." 
Marília Gabriela: VOCÊ É FAVORÁVEL A DESCRIMINALIZAÇÃO? Ronaldo Laranjeira: "Não. Como psiquiatra eu fico muito mais preocupado com as pessoas que tem dependência química. Antes de discutir a descriminalização precisamos discutir a proteção do contingente enorme de dependentes químicos que estão absolutamente desassistidas pelo Estado. Droga é uma grande ilusão do século XXI."
Queremos deixar claro que, nós espíritas não somos contra quem faz uso de qualquer droga (forte ou fraca, lícita ou ilícita), porque somos a favor do livre arbítrio. Mas, aqui, ou em qualquer outro meio de comunicação onde expomos a visão espírita sobre vários assuntos, priorizamos a visão ESPIRITUAL. Como acreditamos na reencarnação, numa vida após esta vida, sabemos que todo prejuízo que causarmos ao nosso corpo físico, diminuindo o tempo de vida na Terra é SUICÍDIO. E todo prejuízo que causarmos aos que convivem conosco neste planeta (pai, mãe, irmãos, desconhecidos), de maneira direta ou indireta, também prestaremos contas às leis divinas. Não precisa ser inteligente para observar o que as drogas estão fazendo na vida das pessoas, dentro dos lares, das escolas, sendo a causa principal de pequenos e grandes furtos e assaltos, enfim, ela é um câncer na sociedade. O plantio é livre, mas a colheita obrigatória. Não queremos obrigar ninguém a acreditar no que acreditamos, mas esta página é espírita e colocamos aqui assuntos sob sua visão. Sem querer impor nossa filosofia cristã de vida. Nós acreditamos na conscientização das pessoas. O cigarro já está perdendo espaço em nossa sociedade. A conscientização pode demorar, mas ela amadurece com o amadurecimento espiritual das pessoas. Ninguém nasce precisando de transplante de fígado sem ter lesado, numa vida anterior, este órgão, etc. Nossa Marcha é à favor da vida saudável, da evolução espiritual. Espero que nos compreendam. Se droga fosse bom não existiria CENTRO DE RECUPERAÇÃO. Se a maconha fosse inofensiva por ser uma planta, tomaríamos chá de cicuta sem medo de nos envenenar. E legalizar a maconha não acabará com o tráfico. Se os traficantes não ganharem com a venda da maconha, ganharão com a venda de outras drogas. O Governo só legalizará para ganhar dinheiro sobre a desgraça do povo. A "planta da paz" tirou a paz dessas pessoas da fila. A droga já comanda a vida delas. Pense nisso! Usemos a razão, o raciocínio.


Texto de Rudymara


domingo, 16 de julho de 2017

A SARÇA ARDENTE NA VISÃO ESPÍRITA


Conta a Bíblia (antigo testamento), em Daniel 3, que três homens foram lançados à fogueira a mando do rei Nabucodonosor. E o rei exclamou: "Olhem! Estou vendo quatro homens, desamarrados e ilesos, andando pelo fogo, e o quarto se parece com um filho dos deuses". Então Nabucodonosor aproximou-se da entrada da fornalha em chamas e gritou aos três homens: "Sadra­que, Mesaque e Abede-Nego, servos do Deus Altíssimo, saiam! Venham aqui!" E eles saíram do fogo sem nenhuma queimadura. Como isso é possível? Explica Divaldo Franco que: "Daniel Dunglas Home, era um grande médium de efeitos físicos. Ele ficou famoso como médium devido a sua habilidade de levitar até várias alturas, esticar-se e manipular fogo e carvões em brasa sem se machucar. Em uma experiência memorável diante do Imperador Napoleão III, antes de Allan Kardec, no mês de abril de 1852, convidado às Tulherias pelo imperador, deu as maiores demonstrações de mediunidade, porque o Imperador gostava de prestidigitação (ilusionismo) e acreditava que os fenômenos produzidos por Daniel e por outros, eram de ilusionismo, de malabarismo. Entre as manifestações notáveis que Daniel produziu naquela noite, uma foi tomar de uma folha de papel, atritá-la, atirando-a nas labaredas da lareira, dizendo: - "NÃO QUEIME". - e a folha de papel permaneceu intacta. Ele afastou-se alguns metros, e ordenou: - "PODE QUEIMAR". - e ela ardeu. Constatamos que ele a havia impregnado de energia anti-combustiva e, ao dar-lhe a ordem, a energia desgastada, não isolou o papel." Precisamos deixar claro que, embora ele fosse médium, ele não era espírita. Ele foi sucessivamente metodista, congregacionalista e católico, terminando na Igreja Ortodoxa Grega. E quem, também, não se lembra da Sarça Ardente, contada na Bíblia? É uma passagem do Antigo Testamento onde uma planta espinhosa chamada Sarça pegou fogo e, apesar de estar pegando fogo este não a consumia, não a queimava. E foi em meio a este fogo que "Deus" (espírito enviado por Deus) apareceu á Moisés para orientá- lo sobre sua missão.  Este fato ficou conhecido como SARÇA ARDENTE. Para entender melhor: O médium ou um Espírito consegue manipular fluidos que envolvem um papel, uma planta ou outra coisa qualquer e tal objeto fica protegido a ponto de não queimar. 

Texto de Rudymara




sábado, 15 de julho de 2017

JESUS TRANSFORMA ÁGUA EM VINHO

Sou iniciante nos estudos da doutrina espírita e concordo que o álcool é um veneno. Só gostaria de entender a passagem bíblica onde Jesus transforma água em vinho. Não é um paradoxo? É possível transformar água em vinho?
Na verdade, queremos sempre buscar um “santo” álibi para justificarmos nossos vícios. Acredito que o vinho daquela época não tinha o teor alcoólico da nossa época. Tanto que as festas judaicas duravam dias. Se fosse regada com bebida de alto teor alcoólico, os convidados não aguentariam dias bebendo. E, talvez, Jesus tenha aproveitado o número de pessoas que ali estavam para iniciar seu apostolado, mostrando seus poderes, revelando o imenso potencial que ali se iniciava, chamando a atenção para Ele, ou melhor, para os ensinamentos que Ele trazia. Precisamos lembrar que Jesus não veio mudar as pessoas de uma hora para outra. Seu ensinamento foi e sempre será: “TUDO NOS É LÍCITO, MAS NEM TUDO NOS CONVÉM.” O livre arbítrio impera em Seu apostolado. E pode ser também uma passagem simbólica mostrando que o “vinho bom” (vinho da alegria, do respeito, da cordialidade) servido nos primeiros anos de casado não deve ser trocado depois de algum tempo de convívio pelo “vinho ruim” (vinho da indiferença, do desrespeito, da tristeza). E a transformação da água em vinho é um fenômeno possível, pois uma ação fluídica, como o passe magnético, pode mudar as propriedades da água, transformando em remédio e, também, dando-lhe o sabor e cor do vinho. É o que chamamos de efeitos físicos. Jesus, sendo um Espírito elevado com energias sublimes, poderia ter produzido tal efeito. Então, usemos sempre nosso bom senso. Afinal, sabemos os danos que a bebida alcoólica causa em nosso corpo físico e o que sua alteração traz em nossa vida e sociedade através de desavenças, brigas, mortes, separações, violência, etc. Como disse Joanna de Ângelis no livro “Dias Gloriosos”: “Todo corpo físico merece respeito e cuidados, carinho e zelo contínuos, por ser a sede do Espírito, o santuário da vida em desenvolvimento.” Quando desencarnamos por danificar o corpo físico com bebida somos vistos, pela lei divina, como suicidas. Sem contar o assédio de obsessores. Portanto, o cristão não deveria compactuar com a indústria que mata mais gente e destrói mais lares do que uma guerra. Sigamos o conselho do apóstolo Paulo: "NÃO SEJAM INSENSATOS; AO CONTRÁRIO, PROCUREM COMPREENDER A VONTADE DO SENHOR. NÃO SE EMBRIAGUEM, QUE LEVA PARA A LIBERTINAGEM, MAS BUSQUEM A PLENITUDE DO ESPÍRITO.” (Efésios 5:18)
(Pergunta de um anônimo que escreveu para o Grupo de Estudo Allan Kardec e a resposta é uma compilação de Rudymara)


quinta-feira, 13 de julho de 2017

O MAL É A AUSÊNCIA DO BEM


Ouvimos muito, hoje em dia, falar do mal. Do mal da violência, da corrupção, da desigualdade social, etc. Mas, o que estamos fazendo para acabar com o mal? Para acabar com ele precisamos praticar o bem. O que é o bem? “O Bem é proceder de acordo com a Lei de Deus; e o Mal é desrespeitá-la.” (Questão 629 em O Livro dos Espíritos). Martin Luther King disse: “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.” Os Espíritos disseram para Kardec: "Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem". Então, antes de dizer que o mal está no outro, na macumba, no espírito obsessor, no Governo, etc.., observemos nossas atitudes. Como explicou Richard Simonetti sobre espíritos que são contratados para fazer o mal: "Os espíritos não têm o poder de criar o mal. Apenas alimentam o mal que há na pessoa. Ninguém faz mal para ninguém, porque o mal só nos atinge porque está dentro de nós. Jamais seremos induzidos à violência se conquistamos a mansuetude." Explica Kardec que: "os maus espíritos não vão senão onde acham com o que satisfazerem a sua perversidade; para afastá-los, não basta pedir-lhes nem mesmo ordenar, é preciso despojar de nós o que os atrai. Os maus espíritos farejam as chagas da alma, como as moscas farejam as chagas do corpo; do mesmo modo que limpamos o corpo para evitar a bicheira, limpemos também a alma de suas impurezas para evitar o ataque dos maus espíritos." E o mal da fome? Chico Xavier responde: "Tudo aquilo que está sobrando em nossa casa está fazendo falta pra alguém." Então, o mal que devemos temer, é o mal moral, que ainda se encontra em nós. O mal do egoísmo, da ganância, do ódio, do revide, da reclamação, da fé sem obras. Está na hora de cortarmos a “A Corrente do Mal” nos filmes, esportes, novelas, desenhos “animados”, jogos eletrônicos, política, jornalismo, nos vícios, na compra de produtos roubados, no desejo de levar vantagem sobre o próximo de forma desonesta, etc.? Como disse Divaldo P. Franco: “o mal é o bem ausente. A treva é a luz apagada. Ao invés de amaldiçoarmos na escuridão, acendamos uma luz.” Como disse Gandhi: "Sejamos a mudança que queremos ver no mundo."

Texto de Rudymara



quarta-feira, 12 de julho de 2017

JOVENS DIFÍCEIS


DESIGUALDADE SOCIAL


Nosso planeta ainda não abriga espíritos de igual evolução, portanto, as dores e aflições ainda fazem parte da vida de quem encarna aqui. Como disseram os espíritos: Os homens “não são igualmente inteligentes, ativos e laboriosos (trabalhadores)”. Muitos se acomodam na preguiça, na ociosidade, na autocomiseração. Emmanuel explica no livro O Consolador: "dentre os mundos inferiores, a Terra pertence à categoria dos de expiações e provas, porque ainda existe predominância do mal sobre o bem. Aqui, o homem leva uma vida cheia de vicissitudes por ser ainda imperfeito, havendo, para seus habitantes, mais momentos de infelicidades do que de alegrias. A provação é a luta que ensina ao discípulo rebelde e preguiçoso a estrada do trabalho e da edificação espiritual. A expiação é a pena imposta ao malfeitor que comete um crime.” Diante de tal explicação, concluímos que não nascemos para sermos completamente felizes. Aqui, neste planeta, alegria e tristeza se revezam. Moramos num vale de lágrimas, ou seja, ora choramos de alegria, ora de tristeza. O médium José Raul Teixeira conta que viu uma mulher catando algo para comer numa lixeira e seu mentor disse que ela foi um político numa encarnação anterior. Como está no O Evangelho segundo o Espiritismo: "Nos mundos de provas e expiações o mal predomina; mas o mal é uma necessidade para seus habitantes darem valor ao bem, da noite para admirar a luz, da doença para apreciar a saúde. Esses mundos (é o caso da Terra) servem de exílio para os Espíritos rebeldes à lei de Deus. Neles os Espíritos lutam penosamente, ao mesmo tempo, contra a perversidade dos homens que convivem com eles e a crueldade da natureza (tsunami, terremoto, maremoto, etc), para que desenvolvam de uma só vez as qualidades do coração e as da inteligência." Portanto, a dor faz parte do ensinamento e do crescimento. E, ninguém sofre por acaso, senão Deus não seria justo. Os Espíritos disseram à Kardec que a pobreza na Terra é para uns, prova de paciência e de resignação, da mesma forma que a riqueza é para outros, prova de caridade e da abnegação. Desse modo, fica bem claro que sem a lei da reencarnação, a desigualdade das riquezas não tem uma explicação no contexto do amor, da sabedoria e da justiça de Deus. Ela é justificada, pela possibilidade e necessidade de todos a experienciá-la, assim como a pobreza, para o desenvolvimento espiritual de cada um. Nas leis divinas não há privilégio, nem favores. Todos os habitantes da Terra, tendo de fazer sua evolução, experimentam, igualmente, na existência certa, segundo suas capacidades, as experiências adequadas para a continuidade desse processo. “O pobre não tem, portanto, motivos para acusar a Providência, nem para invejar os ricos, e estes não o têm para se vangloriarem do que possuem. Se, por um lado, estes abusam da fortuna, não será através de decretos, nem de leis suntuárias, que se poderá remediar o mal. As leis podem modificar momentaneamente o exterior, mas não podem modificar o coração: eis porque têm um efeito temporário e provocam sempre uma reação mais desenfreada. A fonte do mal está no egoísmo e no orgulho. Os abusos de toda espécie cessarão por si mesmo, quando os homens se dirigirem pela lei da caridade.” E os homens só viverão essa lei, quando eliminarem de si, essas duas chagas da humanidade, através da educação, “não essa educação que tende a fazer homens instruídos, mas a que tende a fazer homens de bem”. Nenhuma revolução, nenhuma lei humana, alterou o íntimo das pessoas. A educação e a autoeducação na melhoria de cada um é que vai levar os homens a saberem usar os bens materiais no desenvolvimento espiritual de si próprio e do mundo em que habita.
Concluímos que o problema não está no socialismo, comunismo ou democracia, mas em quem rege tais formas de Governo. Qualquer uma daria certo se as pessoas governassem pela causa de todos e não apenas em sua causa e, se o povo se ajudasse, estendendo aos mais necessitados alguma ajuda. Pois, não basta ter pena dos que sofrem ou aguardar uma atitude de Deus ou do Governo. André Luiz explica que Deus ajuda as criaturas através das criaturas. Portanto, nós também temos nossa obrigação social. Deus age através de nós. Como disse Madre Teresa: "O que eu faço é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor." Sejamos uma gota nesse oceano de dor e sofrimento.


Compilação de Rudymara





segunda-feira, 10 de julho de 2017

ORDEM E PROGRESSO


Quem se lembra dos trabalhos de escola que fazíamos buscando informação em biblioteca e passando a limpo no papel almaço ou datilografando? Era um tempo que aprendíamos de verdade. Onde as escolas estaduais eram excelentes. Havia repetência sem xororô de recurso, só passava quem estudava, fazia tarefa, trabalhos escolares, as chamadas orais, fosse de qualquer raça ou posição social. Alunos não precisavam de "bolsas" que, nada mais são que, declarações que o nível escolar é inferior. Tempo que os pais chamavam atenção dos filhos quando professores eram desrespeitados. Tempo que a maioria dos alunos diziam querer ser professor(a). Tempo que levantávamos da carteira, por respeito, quando um professor(a) ou diretor(a) entrava na sala de aula e dizíamos em coro "Bom dia". Tempo que cantávamos o Hino Nacional emocionadamente e aprendíamos a cantar os hinos da bandeira, do expedicionário, da independência.Tempo que tínhamos hora para chegar em casa, de dar satisfação de onde íamos e com quem estávamos, horário para fazer tarefa, de ajudar nos afazeres de casa. Tempo que aprendíamos a ser responsáveis, que gostávamos de estar com a família e de brincar na rua com os amigos(as). Tempo de muros baixos, pão e leite na porta sem medo de roubarem. Tempo de ORDEM e PROGRESSO em todos os setores, queiramos ou não. Depois, só andamos para trás na educação escolar que, quanto mais mudam a forma de ensino menos os alunos aprendem, na educação dos jovens, no respeito, na segurança, na saúde, nas músicas com suas letras chulas, simplórias e banais e nas artes em geral. As drogas dominaram muitos jovens e adultos, separou famílias, causou insegurança na sociedade. O jeitinho brasileiro chegou querendo levar vantagem "desonestamente" em todos os setores, dentro e fora da política de direita e esquerda, etc... Enfim, ganhamos "liberdade" e não soubemos lidar com ela. Pena! Mas faz parte do crescimento. Como está no livro “Transição Planetária” de Philomeno Miranda: “Antes, porém, de chegar o momento da transição planetária, a violência, a sensualidade, a abjeção, os escândalos, a corrupção atingirão níveis dantes jamais pensados, alcançando o fundo do poço, enquanto as enfermidades degenerativas, os transtornos bipolares de conduta, as cardiopatias, os cânceres, os vícios e os desvarios sexuais clamarão por paz, pelo retorno à ética, à moral, ao equilíbrio(...)" Mas, para que isso aconteça, precisamos agir. Separando o joio do trigo. Não aceitando programas de TV, músicas, danças, costumes, modas que atrapalham essa evolução. Pensemos nisso e façamos a nossa parte!

Rudymara



TODA DESENCARNAÇÃO É IGUAL?




Não, uma desencarnação não é igual a outra. O gênero de vida que alimentamos no estágio físico (quando estamos encarnados) dita as verdadeiras condições de nossa desencarnação. Lembremos a desencarnação de André Luiz narrado por ele através da mediunidade de Chico Xavier no livro Nosso Lar. Lembremos também a parábola "O rico e Lázaro", onde o rico sofreu muito após a desencarnação. Por isso, rogou que Abraão mandasse alguém avisar seus 5 irmãos (encarnados) do sofrimento dele, para que eles não sofressem também. Mas Abraão disse: "Eles têm Moisés e os Profetas: ouçam-nos." 
O mesmo acontece conosco. Nós temos Jesus, os ensinamentos dele estão aí, nós sabemos o que temos que fazer ou seguir, enquanto estamos encarnados, mas estamos sempre adiando vivenciá-los. Quando chegarmos ao plano espiritual e, se for o caso, de nos depararmos com o sofrimento, não poderemos dizer que "não sabíamos" ou que gostaríamos de avisar os que aqui ficaram. Então, façamos o melhor que pudermos, para chegarmos ao plano espiritual em condição mais feliz e tranquila.


Rudymara




sexta-feira, 7 de julho de 2017

AMOR



O Amor, sublime impulso de Deus, é a energia que move os mundos:
Tudo cria, tudo transforma, tudo eleva.
Palpita em todas as criaturas.
Alimenta todas as ações.
O ódio é o Amor que se envenena.
A paixão é o Amor que se incendeia.
O egoísmo é o Amor que se concentra em si mesmo.
O ciúme é o Amor que se dilacera.
A revolta é o Amor que se transvia.
O orgulho é o Amor que enlouquece.
A discórdia é o Amor que se divide.
A vaidade é o Amor que se ilude.
A avareza é o Amor que se encarcera.
O vício é o Amor que se embrutece.
A crueldade é o Amor que se tiraniza.
O fanatismo é o Amor que se petrifica.
A fraternidade é o Amor que se expande.
A bondade é o Amor que se desenvolve.
O carinho é o Amor que se enflora.
A dedicação é o Amor que se estende.
O trabalho digno é o Amor que se aprimora.
A experiência é o Amor que amadurece.
A renúncia é o Amor que se ilumina.
O sacrifício é o Amor que se santifica.
O Amor é o clima do Universo.

É a religião da vida, a base do estímulo e a força da Criação.
Ao seu influxo, as vidas se agrupam, sublimando-se para a imortalidade.
Nesse ou naquele recanto isolado, quando se lhe retire a influência, reina sempre o caos.
Com ele, tudo se aclara.
Longe dele, a sombra se coagula e prevalece.
Em suma, o bem é o Amor que se desdobra, em busca da Perfeição no Infinito, segundo os Propósitos Divinos; e o mal é, simplesmente, o Amor fora da Lei.

Do Livro "Falando à Terra –
Psicografia de Chico Xavier
Pelo espírito João de Brito