segunda-feira, 23 de outubro de 2017

MACUMBA PEGA?




Antes de mais nada, macumba é um instrumento africano de percussão e macumbeiro é quem toca este instrumento. 
Mas, no sentido de trabalho espiritual, precisamos esclarecer que mediunidade não é propriedade dos espíritas. Há médiuns espíritas e médiuns que não são espíritas. Esse tipo de “trabalho” não se encontra nas Casas Espíritas. Seria incoerente falar de Jesus que ensinou a perdoar, amar o próximo e o inimigo, etc. e prejudicar alguém. Existe sim espíritos desencarnados que pedem coisas em troca de "favores". Espíritos que pedem sacrifícios animais ou humanos, bebida alcoólica, charutos, comida, sacrifício e sangue de um irmão inferior (animal) ou mesmo humano, que participam de trabalhos de vingança ou outra maldade qualquer, precisam de esclarecimento cristão. Eles ainda estão apegados a coisas materiais e sentimentos inferiores. Os que buscam, os que intermediam e o espírito que aceita tal trabalho estão contrariando a Lei de Deus. Respeitamos o livre arbítrio de cada um, mas, devemos advertir que não é uma prática espírita. Espiritismo deve ser entendido como a Doutrina surgida na França, cujo ensinamentos foram trazidos pelos Espíritos e organizados por Allan Kardec nos 5 livros: "O Livro dos Espíritos", "O Evangelho Segundo o Espiritismo", "O Livro dos Médiuns", "A Gêneses", "O Céu e o Inferno". Embora algumas casas espiritualistas adotem os livros da codificação, nem sempre elas são casas espíritas.
O Espiritismo não tem: dogmas, rituais, vestes especiais, cálice com vinho ou qualquer bebida alcoólica, incenso, mirra, fumo, altares com imagens, andores, velas, procissões, trabalhos espirituais, talismãs, amuletos, sacrifício animal, santinho, horóscopo, cartomancia, quiromancia, astrologia, numerologia, pagamento de promessas, despachos, riscos de cruzes e pontos, não tem curas espirituais milagrosas, fórmulas mágicas para resolver problemas sentimentais ou financeiros, etc.
O que o Espiritismo explica, em relação a este tipo de "trabalho" é que, os agentes das sombras (espíritos malfazejos), contratados para fazer o mal, não têm o poder de criar o mal. Apenas alimentam o mal que há na pessoa.
Ninguém faz mal para ninguém, porque o mal só nos atinge porque está dentro de nós.
Jamais seremos induzidos à violência se conquistamos a mansuetude.
O Espírito evocado não exerce uma influência irresistível sobre uma pessoa, ele apenas explora a tendência da pessoa, por exemplo, se a pessoa gosta de bebidas alcoólicas, este Espírito irá "sugerir" que esta pessoa beba sempre, até causar um mal á saúde dela ou á vida dela; se uma pessoa é negativa, só fala em se matar, este Espírito só irá "sugerir" que esta pessoa se mate. Então, o mal que devemos temer, é o mal moral, que ainda se encontra em nossa vida. Os Espíritos farejam as chagas que se encontram em nossa alma. Muitos acham mais fácil buscar algum lugar que "afaste" o Espírito obsessor do que esforçar-se para mudar de atitude. O certo é criar o hábito de orar, de manter o pensamento e atitude no bem do próximo e no nosso bem. Quando soubermos que alguém tentou nos fazer mal, não sinta raiva e não queira revidar, ore por ela, é uma pessoa que ainda se encontra na ignorância no assunto "amor ao próximo", ainda não traz Jesus em suas atitudes. Nós temos, infelizmente, a facilidade em acreditar no poder do mal do que no poder de Deus que é maior que qualquer força negativa. Mas, lembremos Deus não nos livra do Mal, Ele apenas mostra como devemos nos livrar dele. Deus não é babá de ninguém. Se Ele fizesse tudo por nós, ninguém se esforçaria para melhorar suas atitudes.
Então, o que devemos fazer para evitar o nosso envolvimento com o mal? Jesus nos legou a fórmula perfeita para evitar o envolvimento com o mal: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação.” É preciso exercitar constante vigilância, não no próximo, mas em nós mesmos. Vigiar nossos impulsos, as ideias que surgem em nossa mente, nossos desejos, tendo por parâmetro a moral evangélica que nos oferece o roteiro ideal para uma existência equilibrada e feliz. Em qualquer atitude que tivermos de tomar, perguntemos: "O que cogitamos é compatível com o Evangelho?" Se a resposta for negativa, nos detenhamos imediatamente em oração, rogando a Deus forças para resistir à tentação.



Texto de Rudymara





QUERO SER MÉDIUM



André Luiz acompanhou o missionário Alexandre para observar algumas demonstrações de desenvolvimento mediúnico em um Centro Espírita.
Instantes depois, os primeiros encarnados deram entrada no recinto. André observava a conversa, onde três deles mostravam desânimo, pois tentavam à algum tempo desenvolver a mediunidade sem resultado algum.
Foi iniciada a sessão de desenvolvimento, onde 18 pessoas mantinham-se em expectativa.
Alexandre explica a André Luiz que tal desenvolvimento requer: disciplina, educação, esforço e perseverança. Então, passaram a observar 3 pessoas:
O PRIMEIRO foi um rapaz que queria psicografar. Então, Alexandre pede para André Luiz observar o aparelho genital do rapaz, e explicou que ali havia bacilos psíquicos da tortura sexual, produzidos pela sede febril de prazeres inferiores. Sem contar o contato com entidades grosseiras, que se afinavam com as predileções dele.
Passaram, então, a observar o SEGUNDO, um senhor de bigode, que demonstrava dificuldade para sustentar o pensamento com relativa calma. Foi concluído que este deveria usar alcoólicos em quantidade regular. O aparelho gastrintestinal encontrava-se totalmente ensopado em aguardente, e invadia os escaninhos do estômago, e começava a afetar o esôfago e a influenciar o bolo fecal. O fígado estava enorme, o baço apresentava anomalias estranhas . . . Então, Alexandre esclareceu dizendo que, André Luiz estava examinando as anormalidades menores.
Depois, passaram a observar a TERCEIRA, uma senhora idosa, que era candidata ao desenvolvimento da mediunidade de incorporação. Viu-se então, uma fraquíssima luz que emanava de sua organização mental. O estômago estava dilatado horrivelmente e os intestinos pareciam sofrer estranhas alterações. O fígado estava aumentado. O aparelho digestivo estava cheio de pastas de carne e caldos gordurosos, cheirando a vinagre de condimentação ativa. Enfim, ali estava uma pobre senhora desviada nos excessos de alimentação.
Alexandre concluiu:
- O Espiritismo cristão é a revivescência do Evangelho de Nosso Senhor Jesus-Cristo, e a mediunidade constitui um de seus fundamentos vivos. A mediunidade, porém, não é exclusiva dos chamados "médiuns". Todas as criaturas a possuem, porquanto significa percepção espiritual, que deve ser incentivada em nós mesmos. Não bastará, entretanto, perceber. É imprescindível santificar essa faculdade, convertendo-a no ministério ativo do bem. A maioria dos candidatos ao desenvolvimento dessa natureza, contudo, não se dispõe aos serviços preliminares de limpeza do vaso receptivo. Dividem, inexoravelmente, a matéria e o espírito, localizando-os em campos opostos, quando nós, estudantes da Verdade, ainda não conseguimos identificar rigorosamente as fronteiras entre uma e outro, integrados na certeza de que toda a organização universal se baseia em vibrações puras. Inegavelmente, meu amigo André, não desejamos transformar o mundo em cemitério de tristeza e desolação. Atender a santificada missão do sexo, no seu plano respeitável, usar um aperitivo comum, fazer a boa refeição, de modo algum significa desvios espirituais; no entanto, os excessos representam desperdícios lamentáveis de força, os quais retêm a alma nos círculos inferiores. Ora, para os que se trancafiam nos cárceres de sombra, não é fácil desenvolver percepções avançadas. Não se pode cogitar de mediunidade construtiva, sem o equilíbrio construtivo dos aprendizes, na sublime ciência do bem-viver.


Do Livro: Missionários da Luz, capítulo 3
André Luiz (Espírito), psicografia de Francisco Cândido Xavier (médium)



OBSERVAÇÃO: “Há médiuns preocupados em ouvir o gemido dos espíritos desencarnados e não ouvem os gemidos dos encarnados. Temos outros ansiosos por ver espíritos, sem notarem os que sofrem a sua volta; vários desejosos de materializar entidades, sem a preocupação de espiritualizar-se. Então, para o médium será importante que ele se ajuste à dinâmica da Doutrina Espírita, no trabalho da caridade, no esforço da renovação dele e daqueles que o cercam."




sábado, 21 de outubro de 2017

COMO ACABAR COM O BULLYING?



Um estudante de 14 anos atirou no fim da manhã desta sexta-feira (20/10/2017) dentro do Colégio Goyases, escola particular de ensino infantil e fundamental, em Goiânia. De acordo com o Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, dois estudantes morreram e outros quatro ficaram feridos na unidade. "O adolescente agiu motivado por um bullying que ele sofria de outro adolescente..."
Mas, o que é BULLYING?
Bullying é um termo em inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de bullying pela turma.
O preconceito, a intolerância, a agressão física e psicológica sobre alguém é prova que ainda não aprendemos a amar o próximo. É preciso fazer um trabalho educativo "urgente" para que, aos poucos, eliminemos essa agressividade, esse sentimento de alegria ao humilhar o outro. Amar significa respeitar, aceitar, cuidar, ajudar, amparar aqueles que convivem conosco no mundo. Os pais devem ter cuidado com os comentários preconceituosos que fazem perto dos filhos. A educação moral religiosa deles deve começar no lar principalmente através do exemplo dos pais e daqueles que convivem com eles.
Quando nossos filhos vão pela primeira vez na escola devemos conversar com eles explicando que encontrarão coleguinhas de cor de pele, de cabelo, de olhos diferentes, que podem ter defeitos físicos e mentais, enfim, e explicar que são todos filhos de Deus assim como eles são. E que Deus nos faz todos diferentes, mas que devemos tratar todos iguais, sem risos, piadas, humilhações e violência. Que Deus fica muito triste quando deixamos qualquer filho Dele triste. Mais tarde explicar a lei de causa e efeito e, consequentemente, a reencarnação. Só assim entenderão que na próxima encarnação estarão habitando um corpo diferente e este corpo pode ser de cor de pele diferente, pode trazer algum defeito físico, etc.
Devemos, por exemplo, perguntar ao nosso filho: “Você gostaria que seus coleguinhas rissem de você? Que batessem em você?” E aproveitar a resposta dele, que geralmente é "NÃO", para dizer: “Então não devemos fazer ao nosso coleguinha o que não queremos que façam com a gente.”
Mais tarde, quando estiverem maiores, poderemos abordar o precenceito com os homossexuais. Que cada pai e/ou mãe explique "em casa", segundo a visão religiosa de cada um, pedindo o mesmo respeito que pedimos aos negros, índios, obesos, enfim, aos "diferentes" deles.
Aos filhos homossexuais explicar que, o mesmo respeito que eles querem receber da sociedade eles devem ter para com ela. Que eles não façam nada que choque, que seja promíscuo, enfim, que respeitem sua imagem e não desrespeitem a maneira de pensar e agir da sociedade. A orientação também serve aos filhos heterossexuais. Este é o início para eliminarmos o preconceito e a violência. Trabalhemos juntos para prevenir que nosso filho(a) plantem um resgate (carma) difícil, perante a lei divina, no futuro e que nós, pais, respondamos por nossa negligência. 
"AMAI-VOS UNS AOS OUTROS COMO EU VOS AMEI" - pediu Jesus. Mas, se nós pais, irmãos, avós, tios, professores ou quem tiver uma ou várias crianças em sua responsabilidade não ensinarmos a elas como devem amar o próximo, estas crescerão sem saber como se comportar de maneira cristã e, consequentemente, continuarão preconceituosas, violentas, insensíveis.
"EDUQUEM AS CRIANÇAS E, ENTÃO NÃO SERÁ NECESSÁRIO PUNIR OS HOMENS." - Pitágoras


(Texto de Rudymara)




terça-feira, 17 de outubro de 2017

DEUS NÃO ERRA DE ENDEREÇO



Ninguém se une numa família por acaso. Ninguém é vítima ou coitadinho. Deus não erra de endereço. Colhemos o que plantamos e nascemos onde temos necessidade de evoluir. Há filhos(as) que dizem amar seus pais, mas na verdade só tem interesse neles. Pois, só exploram, humilham e maltratam. E quando precisam deles são dissimulados a ponto de fazer-lhes um agrado, só para alcançar o almejado. E há pais que fazem todas as vontades do filho(a) dizendo amá-lo, quando na verdade não o ama, apenas é apaixonado. Pois, quem ama educa, diz sim e não na hora certa. O amor não é cego, porque enxerga que, muitas coisas que os filhos(as) querem, serão prejudiciais no futuro. Já a paixão diz sim sempre, não tem coragem de negar nada, de educar, não enxerga o futuro. Então, observemos nossas atitudes, como filho(a), pai ou mãe, pois colheremos no futuro o que estamos plantando no presente. Como disse Emmanuel: “Nem freio que os mantenha na servidão, nem licença que os arremesse ao charco da libertinagem.” E como disse Kardec: Na família, os pais tem deveres para com os filhos e os filhos além de respeito para com os pais, tem deveres com eles, mesmo quando são injustos. E aos pais Santo Agostinho aconselha: “Espíritas, compreenda agora o grande papel da humanidade, compreenda que, quando produzem um corpo, a alma que nele encarna vem do espaço para progredir. Inteirem-se dos seus deveres e ponha todo o seu amor para aproximar de Deus essa alma, esta é a missão que lhes está confiada e cuja recompensa receberão se fielmente a cumprirem. Os seus cuidados e a educação que lhe derem auxiliarão o seu aperfeiçoamento e o seu bem-estar futuro. Lembrem-se de que, a cada pai e a cada mãe, Deus perguntará: Que fizestes do filho confiado à vossa guarda?”
Pensemos nisso!


Rudymara


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

ATÉ QUANDO SEREMOS TÚMULOS PINTADOS DE BRANCO?



Jesus disse: “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Sois como sepulcros (túmulos) caiados (pintado com cal): por fora parecem belos, mas por dentro estão cheios de ossos de cadáveres e de toda podridão! Assim também vós: por fora, pareceis justos diante dos outros, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e injustiça...."
Assim são muitos de nós. Até quando seremos “túmulos caiados de branco”? Até quando ficaremos na exterioridade religiosa? Enquanto isso, o que mais importa fica para segundo plano? Por dentro continuaremos “cheios de podridão”? O que mais agrada Deus e Jesus: os comprimentos da saia, do cabelo, da manga da camisa; se fomos batizados; se nos casamos na casa religiosa; se vamos toda semana ao culto de nossa igreja, templo ou casa religiosa ou a moralização de nossos atos? Enquanto isso encontramos cristãos abortando e favoráveis a legalização do aborto e das drogas; fazendo uso de drogas lícitas e ilícitas; vendendo drogas aos nossos jovens, com consequência violenta para a família e sociedade; negligenciando a educação de seus filhos; desrespeitando pai, mãe, professores e outras autoridades; banalizando o sexo; buscando a prosperidade material enganando, trapaceando e lesando o próximo; traindo o cônjuge; maltratando animais, natureza, crianças, esposa, etc.; abusando de crianças e adolescentes; profissionais da saúde maltratando pacientes; políticos agindo vergonhosamente em nome de sua ganância ao invés de agir em prol do povo, etc. Enfim, encontramos “cristãos” por toda parte, mas, onde está Jesus? Nos crucifixos que adornam o peito e a parede de nosso lar? Por que Ele não está em nossas atitudes? Por que ele só é lembrado nos cultos religiosos, no Natal, na Páscoa ou quando estamos com problemas? Fora da casa religiosa podemos esquecer seus ensinamentos e agir contrariando sua vontade? O que estamos aprendendo dentro dos templos religiosos “cristãos”? Onde nossa religião está falhando? Quem estamos enganando, Jesus ou nós mesmos? Allan Kardec disse: “toda religião que não melhorar o homem não atinge sua finalidade.” Pensemos nisso!

(Rudymara)

domingo, 15 de outubro de 2017

DIA DOS PROFESSORES



Neste dia dos professores, deixo aqui meu abraço a cada professor que luta para ensinar quem, muitas vezes, não quer aprender. Luta em prestar contas aos patrões que, muitas vezes, só querem resultado positivo sem apoiá-los. Luta contra lei que passa aluno sem merecer. Luta para motivar alunos desmotivados pela lei. Luta para se defender da violência e agressividade de quem deveria ter gratidão. Luta para ganhar respeito de muitos pais que acham que os professores devem fazer a vontade dos seus filhos, que não dão continuidade de ensino no lar e querem que os professores eduquem além de instruir. Luta para viver com salário da vergonha. Mas que, apesar de tudo isso, graças a Deus, amam o que fazem. Deus os abençoe. 
Precisamos olhar para os professores como nossos aliados e não como inimigos nossos e de nossos filhos. Quando nosso filho chegar reclamando de um professor, busquemos saber se é realmente verdade ou é apenas reclamação de uma criança mimada que não tolera ordem, respeito, que chamem sua atenção. Nunca se coloque contra o professor perto de seu filho. Procuremos saber se estão cumprindo suas obrigações escolares: tarefas, trabalhos, etc. Participemos das reuniões para saber como nossos filhos estão se comportando na sala de aula, na escola. Converse com seu filho quando ele chegar da escola. Oriente antes dele sair de casa. Eduque seu filho para respeitar a escola e seus funcionários. Educação recebemos no lar e instrução na escola. Escola e família precisam dar as mãos. Como disse Emmanuel: "Duas asas conduzirão o espírito humano à presença de Deus: uma chama-se amor, a outra sabedoria." Então, os professores são colaboradores de Deus na Terra para que possamos desenvolver uma das asas que nos ajudarão a alçar voo para nossa evolução. A outra asa só irá desenvolver com a prática dos ensinamentos do Mestre Jesus. Amor sem sabedoria gera fanatismo e sabedoria sem amor gera perversidade. Pensemos nisso!


Rudymara

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

MARIA VISITA JUDAS E DÁ A NOTÍCIA DE SUA NOVA ENCARNAÇÃO




Depois de ter passado muito tempo sobre os quadros sombrios da crucificação no Calvário, Judas, o traidor do Cristo, agora cego no Além, estava solitário e profundamente triste...
Era triste também a paisagem, o céu se mostrava nevoento...
Cansado de remorso e sofrimento, sentou-se e as lágrimas brotaram quentes de seus olhos melancólicos...
Naquele instante, nobre mulher, vinda de planos superiores, envolta em celestes esplendores, que ele quase nem conseguia perceber, chega e afaga a cabeça do infeliz.
Em seguida, num tom de carinho profundo, quase que em oração, ela diz:
- Meu filho, por que choras?
- Por acaso não sabes? - Responde o interpelado, claramente transtornado. Sou um morto-vivo. Matei-me e novamente estou de pé, sem consolo, sem lar, sem amor, sem fé...
- Não ouvistes falar de Judas, o traidor? Fui eu que aniquilei a vida do Senhor...
A princípio, julguei poder fazê-lO Rei, mas apenas Lhe impus sacrifício, martírio, sangue e cruz. E, em flagelo e aflição eis a que minha vida se reduz agora, nobre senhora... Afasta-te de mim, deixa-me padecer neste inferno sem fim... Nada me perguntes, retira-te, pois nada sabes do remorso que me agita. Nunca penetrarás minha infinita dor... O assunto que lastimo é unicamente meu...
No entanto, a dama calma respondeu:
- Meu filho, sei que sofres, sei que lutas. Sei a dor que te causa o remorso que escutas. Venho apenas falar-te que Deus é sempre amor em toda parte... 
E acrescentou serena:
- A bondade do céu jamais condena. Venho como mãe, buscando um filho amado. Sofre com paciência a dor e a prova. Terás, em breve, uma existência nova... Não te sintas sozinho ou desprezado.
Judas interrompeu-a e bradou, rude e irritado:
- Mãe? Não quero ouvir falar de mãe. Depois de me enforcar num galho de figueira, para acordar na dor, sem poder fugir à verdadeira vida, fui procurar consolo nos braços de minha pobre mãe, que teve medo de meus sofrimentos e expulsou-me depressa. Por favor, não me fales de mães, nem me fales de amor. Sou apenas um ser solitário e sofredor...
- Ainda assim - disse a dama docemente - por mais que me recuses, não me altero. Eu te amo, meu filho, e quero te ver feliz. Terás, filho, o coração banhado pelas águas do esquecimento numa nova existência de esperança. Eu te levarei e te conduzirei ao regaço de outra mãe. Pensa nisso e descansa.
E Judas, naquele instante, como quem esquece a própria dor ou como quem se desgarra de pesadelo atroz, perguntou:
- Quem és, que me falas assim, sabendo-me traidor? És divina mulher, irradiando amor ou anjo celestial envolto em luz?
No entanto, ela a olhá-lo frente a frente, respondeu simplesmente:
- Meu filho, eu sou Maria, sou a mãe de Jesus.

Maria Dolores
Psicografia de Chico Xavier


E quem teria sido Judas, nessa existência?
R: Admite-se que foi Joana D’Arc (1412-1431) que, à semelhança de Jesus, foi traída, humilhada e morta. Só não foi crucificada. Morreu numa fogueira


Disse Judas no livro Crônicas de Além Túmulo para Humberto de Campos pela psicografia de Chico Xavier: "(...) já fui absolvido pela minha consciência, no tribunal dos suplícios redentores. Quanto ao Divino Mestre, infinita é a sua misericórdia e não só para comigo, porque, se recebi trinta moedas vendendo-O aos algozes, há muitos séculos Ele está sendo criminosamente vendido no mundo, a grosso e a retalho, por todos os preços, em todos os padrões do ouro amoedado . . .”




JESUS CONSOLA JUDAS NO UMBRAL





O texto Evangélico relata que Jesus apareceu materializado a Maria Madalena, após o terceiro dia de sua morte. 
O diálogo estabelecido entre Ele e Madalena neste acontecimento, está narrado em forma de poema pelo Espírito Maria Dolores, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier, sob o título Amor e Perdão do livro Coração e Vida, o final desse diálogo apresentado a seguir, revela o imenso amor de Jesus, que após a sua morte, vai ao encontro de Judas, que se enforcou, ao constatar que o Mestre fora crucificado por culpa de sua insensata ambição política. 

E Madalena fora ao túmulo querido
Entre pedras de extremo desconforto...
Levava flores para o Mestre morto,
Tinha o peito magoado e enternecido.

O Sol reaparecia, resplandecente,
A névoa da manhã fundia-se no ar,
Na dourada invasão das flamas do Nascente,
Maria estava ali, unicamente,
A fim de estar a sós, recolher-se e chorar.

A desfazer-se em pranto, ela argüía:
- “Por que, por que Senhor?
Tanta saudade e tanta dor?!...
Toda a felicidade que eu sentia
Jaz aqui sepultada...
Transformou-se-me a vida em sombra e nada
No ermo deste pouso derradeiro...”

Nisso, ela viu alguém... Seria um jardineiro?
Um zelador daquele campo santo?
Mas tomada de espanto,
Viu-se à frente do Mestre Nazareno,
O excelso benfeitor ressuscitado,
A envolver-lhe de paz o coração cansado...
Ela gritou: “Senhor!”
Ele disse: “Maria!”

Ela era a expressão da perfeita alegria,
Ele, o perfeito amor.
Madalena ajoelhou-se e quis beijar-lhe os pés...
- “Maria, por quem és” – explicou-se
“Não me toques, porquanto
não te esperava aqui neste recanto,
e ainda não fui ao Pai revestir-me de luz...”
Maria, surpreendida,
indagou em seguida:
- “Senhor, onde estiveste?
Em que jardim celeste
Encontraste o descanso necessário,

Que vem de Deus, nos dons da paz completa?
Perdoa-me, Senhor, a pergunta indiscreta,
Dói-me, porém, pensar na angústia do Calvário,
Revolto-me, padeço, mas não venço
A mágoa de lembrar-te o sacrifício imenso”

Mas Jesus respondeu:
- Não Maria, não fui ainda ao alto. Nem me elevei sequer um palmo a luz do firmamento. Quem ama não consegue achar o céu de um salto. Ao invés de subir aos altos esplendores, desci, mas desci muito aos reinos inferiores. Despertando no túmulo escutei os gritos de aflição de alguém que muito amei, e que muito amo ainda. Embora visse além a luz sempre mais linda. Sentia nesse alguém um amado companheiro, em crises de tristeza e de loucura. Fui à sombra abismal para a grande procura. E ao reencontra-lo, amargurado e louco, a ponto de não mais me conhecer. Demorei-me a afaga-lo, e pouco a pouco, consegui que ele enfim, pudesse adormecer.
- Senhor? - Interrogou Madalena. - Quem é o amigo que te fez descer antes de procurar a Luz do Pai?
Mas Jesus replicou em voz clara e serena:
- Maria, um amigo não esquece a dor de outro amigo que cai. Antes de me altear a celeste alegria, ao sol do mesmo amor a Deus em que te enlevas. Vali-me após a cruz, das grandes horas mudas, e desci para as trevas, a fim de aliviar a imensa dor de Judas.



Maria Dolores - Chico Xavier

Essa revelação, via mediúnica, esclarecendo onde esteve o Cristo nos três dias após de sua morte, fato não registrado no Novo Testamento, demonstra sobretudo, a extensão da infinita misericórdia de Jesus, para todos os sofredores.








quarta-feira, 11 de outubro de 2017

CARIDADE COMEÇA NO LAR




Disse André Luiz: "Honre a caridade em sua própria casa, ajudando, em primeiro lugar, aos seus próprios familiares, através do rigoroso desempenho de suas obrigações, para que você esteja realmente habilitado a servir ao Mundo e à Humanidade, hoje e sempre."
Não adianta fazer sopa na casa religiosa se não lavamos um copo para ajudar no serviço da nossa casa. Não adianta ser gentil com os irmãos de fé se somos grosseiros e mal educados no trato com nossos familiares. Não adianta arrecadarmos alimentos aos necessitados se não pensamos nas necessidades dos nossos parentes. Não adianta caminhar quilômetros para visitar um templo religioso se não visitamos nossos pais. Não adianta dizer que amamos Maria mãe de Jesus se não honramos, respeitamos e, às vezes, exploramos nossa mãe. Não adianta idealizar igualdade na divisão de renda se brigamos na partilha de bens da família. Pensemos nisso!


Rudymara



terça-feira, 10 de outubro de 2017

POR QUE NÃO ESCUTAMOS JESUS?


"Amai vossos inimigos", "faça ao teu próximo o que gostaria que teu próximo lhe faça," "retribua o mal com o bem", "ore por aqueles que te persegue", "fé sem obras é morta", "misericórdia é o que eu quero, e não sacrifício", “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos Céus, mas sim o que faz o vontade de meu Pai....", "perdoe sempre"... 
Enfim, enquanto fazemos nossos pedidos aos "santos", eles também fazem os deles para nós e, muitas vezes, não lhes damos ouvidos. Perguntemos: "Como estamos tratando nossos familiares, nossos colegas de escola ou trabalho? Nós perdoamos ou revidamos as ofensas? Nós queremos igualdade social mas, será que estamos dividindo, pelo menos, nosso pão? Nós queremos honestidade dos políticos mas, estamos sendo honestos em nossas atitudes? Nós respeitamos os mais velhos, os animais, as crianças, o próximo homo, hetero, negro, índio, branco, etc.? Nós estamos respeitando nosso corpo físico?" E quando eles atendem nossos pedidos, como retribuímos? Caminhando quilômetros, carregando cruzes, velas, subindo ladeiras de joelhos, etc.? Questionemos: "será que "o santo" não ficaria mais contente se fizéssemos algo por alguém para retribuir o que "eles" fizeram por nós ou que mudássemos nosso modo de vida?" Jesus quando curava dizia: "vá e não peques mais", ou seja, vá e não erre novamente, mude seu modo de vida para melhor. O sacrifício que Maria, Deus, Jesus e os benfeitores espirituais querem de nós é o da alma e não a do corpo físico. O que também não devemos esquecer é que, tem muita gente esperando um "MILAGRE NOSSO" na vida delas. Sejamos o milagre na vida de alguém. Enquanto esperamos um milagre "prodigioso", outros esperam o milagre de uma palavra de conforto, um alimento que mate sua fome e de sua família, um remédio para aliviar a dor, um emprego, ser tratado com respeito, etc. 
Pensemos nisso!


Rudymara



domingo, 8 de outubro de 2017

CRIANÇA É UM ESPÍRITO VELHO NUM CORPO NOVO




POR QUE O ESPÍRITO NECESSITA PASSAR PELO ESTADO DA INFÂNCIA? Porque durante esse período, é mais fácil assimilar a educação que recebe, de seus pais ou daquele que está com a responsabilidade de educá-la, de auxiliá-la no adiantamento. As crianças são seres que Deus manda para novas existências. Nós não conhecemos o que a inocência das crianças esconde. Para que os Espíritos não possam mostrar excessiva severidade, eles recebem todo o aspecto da inocência. Essa inocência, muitas vezes, não constitui o que realmente eram antes. É a imagem do que deveriam ser, e não o que são. As más inclinações são cobertas com o esquecimento do passado. O amor dos pais se enfraqueceria diante do caráter áspero e intratável do Espírito encarnado. Pois não sabemos se o Espírito que recebemos com todo amor, possa ter sido um assassino, um amigo, um inimigo, um viciado, um sexolatra, etc. Na adolescência surge o caráter real e individual, por isso mudam tanto de comportamento. Devemos educar nossos filhos desde o berço, e começar a conversar com eles desde os 4 anos, sem esperar pelos 12, 13 anos. Os frutos plantados na infância serão colhidos na adolescência. Dentro dos lares, possivelmente, nascem crianças cujos Espíritos vêm de mundos onde contraíram hábitos diferentes, trazendo paixões diversas das que nutrimos, inclinações, gostos, inteiramente opostos aos nossos. Por isso, a fase da infância é importante. É nela que poderemos reforçar o que for bom e, reprimir os maus pendores. Esse é o dever que Deus impôs aos pais, missão sagrada de que terão de dar contas. Kardec pergunta aos Espíritos: PODE SE CONSIDERAR COMO MISSÃO A PATERNIDADE? E eles respondem: “É, sem contestação possível, uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que pensa o homem, a sua responsabilidade quanto ao futuro (...)” (Questão 582 - O Livro dos Espíritos).

Compilação de Rudymara



ONDE ESTÁ JESUS NESSE MOMENTO DE CRISE MORAL?



Estamos vivendo dias de desequilíbrio. Vemos o desperdício de inteligência e tempo para coisas que não acrescentam nada de bom na vida dessas pessoas e de ninguém. Estão querendo fazer o errado parecer certo e o certo parecer errado. Estamos incomodados com tanta coisa errada na política e no esporte, em ver o comando paralelo dominando a Cidade Maravilhosa e outras cidades, jovens se matando e desequilibrando famílias e sociedade com o uso de drogas, desrespeito com professores, pais permissivos aplaudindo desrespeito dos filhos na família e na sociedade, pais que tentam entregar filho para pedófilo na cadeia, mãe que "em nome da arte" deixa filha de 4 anos tocar um homem nu, com os jovens introduzindo objetos no anus com o pretexto de criticar a frieza das pessoas umas com as outras e com a política para questionar poder do Estado e população, aproveitadores divulgam contas falsas para receber doações para vítimas de ataque a creche em Janaúba, vigia foi enterrado na tarde desta sexta-feira (6) em uma cerimônia discreta, sem seus familiares, pois eles ficaram com medo de retaliações. Enfim, são muitas notícias que nos entristecem. Acredito que muitos os citados nessas tristes notícias se dizem cristãos, mas onde está Jesus num momento desse? Está pendurado na parede ou num pingente no pescoço? Ele não deveria estar em nossas atitudes? Ele pediu para retribuirmos o mal com bem e muitos de nós continuamos revidando o mal com o mal. Ele pediu para amarmos o inimigo e continuamos o odiando. Ele pediu para fazermos ao próximo o que queremos que ele nos façam, mas continuamos fazendo ao próximo o que não queremos para nós. Muitos de nós pedimos Justiça, mas somos injustos. Queremos direito mas não exercermos nossos deveres ou respeitamos o direito do outro. Queremos respeito mas não respeitamos e não nos respeitamos. Querem políticos honestos, mas somos desonestos. Daí me lembro do Espírito Philomeno Miranda que disse no livro “Transição Planetária” através da psicografia de Divaldo Franco: “Antes, porém, de chegar o momento da transição do planeta, a violência, a sensualidade, a abjeção (baixeza), os escândalos, a corrupção atingirão níveis dantes jamais pensados, alcançando o fundo do poço, enquanto as enfermidades degenerativas, os transtornos bipolares de conduta, as cardiopatias, os cânceres, os vícios e os desvarios sexuais clamarão por paz, pelo retorno à ética, à moral, ao equilíbrio(...)
“Como em toda batalha, momentos difíceis surgirão exigindo equilíbrio e oração fortalecedores, os lutadores estarão expostos no mundo, incompreendidos, desafiados por serem originais na conduta, por incomodarem os insensatos que, ante a impossibilidade de os igualarem, irão combatê-los, e padecendo diversas ocasiões de profunda e aparente solidão... Nunca, porém, estarão solitários, porque a solidariedade espiritual do Amor estará com eles, vitalizando-os e encorajando-os ao prosseguimento (...)”
Então, tenhamos paciência, mas não fiquemos na inércia, colaboremos com esta transição. O mundo só será melhor quando melhorarmos o mundo que existe dentro de nós. Façamos com que Jesus seja lembrado, não só na Páscoa ou Natal, mas através de nossos atos, todos os dias e em todos os lugares. Ele aguarda que exerçamos seus ensinamentos de amor a nós mesmos e ao próximo. Oremos e, principalmente, vigiemos nossas atitudes.




Texto de Rudymara




ESCLARECIMENTO AO MEU FILHO


Amado filho,
Ontem, por ocasião da apresentação da novela das oito, você perguntou sobre o motivo da minha indignação, quando eu vi a ‘idolatria midiática’ aos bailes funks, onde criminosos ostentavam fuzis cantando e pulando, estando rodeados por belas jovens no ritmo das melhores músicas e bebidas fartas.
Você, com seus quatorze anos de idade, achou estranho eu não gostar daquelas cenas e tentarei explicar o porquê:
1) só quem pode usar fuzil são as forças de segurança do governo, que fazem algumas concessões às forças auxiliares. Fuzil é armamento de guerra;
2) O funk verdadeiro não pode ser associado à rodas de bandidos armados, pois é um estilo de música rico e com sua importância cultural;
3) aquelas lindas jovens exuberantes que ostentam joias e roupas da moda em corpos esculturais serão escravas dos traficantes que as presenteiam e, geralmente, não passam dos vinte anos de vida ou são presas antes disso;
4) aqueles jovens imponentes e cheios de si empunhando fuzis não chegarão aos vinte anos de vida, na maioria, ou serão presos antes disso;
5) aquelas bebidas e músicas ‘maneiras’ são financiadas pela ‘morte de inúmeros usuários de drogas ou vítimas da violência urbana que busca dinheiro para patrocinar aquele baile feliz que a novela mostrou’;
6) a bela atriz principal no papel de esposa de bandido começou a ficar deslumbrada pelo ‘poder paralelo’ que ostenta luxo e caras felizes. Contudo, quem associa-se ao tráfico não tem passe livre na sociedade, só no submundo;
7) milhares de pessoas morrem sem assistência médica porque o dinheiro que deveria ser alocado para a melhoria da saúde tem que ser redirecionado às forças policiais para combater aqueles bandidos felizes que a novela mostrou…
Por fim, eu poderia listar muitos outros motivos para que eu não tenha ficado contente com a ‘apologia ao crime apresentada na TV, mas disfarçada de crítica social’, porém já me basta apenas dizer-lhe no auge dos seus quatorze anos que ‘jamais a ilicitude trará benesses e que o caminho dos homens honrados dar-se-á sempre pela via dos estudos, da compaixão em comunidade e da Fé em Deus.
Filho, não se deixe enganar por essa máquina de alienação de massa, pois, no fundo, ela também financia ‘aqueles bailes maneiros e regados a gente bonita e a fuzis’.
Autor: seu pai



OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: "Alegra-te, jovem, na tua juventude... Recreie-se o teu coração nos dias de tua mocidade... Anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam teus olhos. Saiba, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá conta." (Eclesiastes).
Não colabore com o mal. Não dê ibope a programas que atrapalham a formação moral das pessoas. Martin Luther King disse: “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.” Os Espíritos disseram para Kardec: "Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem" e o bem é mudar de canal, buscar algo edificante. POR QUE O MAL GERALMENTE VENCE O BEM? “Por fraqueza dos bons é que vemos com freqüência no mundo, a influência dos maus vencerem a influência dos bons. Porque os maus são intrigantes e audaciosos, e os bons são tímidos. E que, quando os bons quiserem, predominarão.” (Questão 932 em O Livro dos Espíritos). A finalidade do Espiritismo é ajudar na educação moral da humanidade. Nossa visão é espiritual. Uma pessoa não é igual a outra porque cada um encarna trazendo uma bagagem reencarnatória. Um homem, por exemplo, olha uma criança e acha graça, beleza, alegria e, um outro olha e sente desejo. São histórias diferentes, grau de evolução diferente. Então, o que a doutrina pede é que selecionemos o que estamos assistindo. Que colaboremos para um mundo melhor. E um mundo melhor se faz com programações melhores. Se um programa não nos atinge, não significa que não atingirá outras pessoas. Pensemos nisso, pensemos no próximo!



JESUS VEIO TRAZER A PAZ OU A GUERRA?


Quando Jesus disse: “Não julgueis que vim trazer paz a Terra; não vim trazer-lhe paz, mas espada; porque vim separar o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e os inimigos do homem serão os seus mesmos domésticos.” (Mateus, X: 34-36).– seu pensamento era o seguinte: “Não penseis que a minha doutrina se estabeleça pacificamente. Ela trará lutas sangrentas, para as quais o meu nome servirá de pretexto. Porque os homens não me haverão compreendido, ou não terão querido compreender-me. Os irmãos, separados pelas suas crenças, lançarão a espada um contra o outro, e a divisão se fará entre os membros de uma mesma família, que não terão a mesma fé. Vim lançar o fogo (uma nova doutrina) na Terra, para consumir os erros e os preconceitos, como se põe fogo num campo para destruir as ervas daninhas, e anseio porque se acenda, para que a depuração se faça mais rapidamente, pois dela sairá triunfante a verdade. A guerra sucederá a paz; ao ódio dos partidos, a fraternidade universal; às trevas do fanatismo, a luz da fé esclarecida.” (Evangelho Segundo o Espiritismo)
Jesus profetizou o que aconteceria com Seus ensinamentos. As pessoas iriam interpretar cada qual do seu modo e, consequentemente, iriam querer impor aos outros seu entendimento. E aqueles que não aceitassem, começaria uma briga, uma discussão, uma separação e até guerra sangrenta seguida de mortes. Tal comportamento mostra que ainda não entendemos seus ensinamentos. As religiões devem pregar o respeito, o livre arbítrio para a pessoa seguir a religião que mais lhe agrada. A boa religião não separa os filhos de um mesmo Pai e ensina que devemos FAZER AO NOSSO PRÓXIMO O QUE QUEREMOS QUE NOSSO PRÓXIMO NOS FAÇA". Então, se queremos que respeitem nossa religião, respeitemos a religião alheia.


Rudymara

POR QUE TANTA DESIGUALDADE NO MUNDO?



Porque agimos de forma desigual. Toda ação tem uma reação. Então, cada um resgata apenas o que plantou. E o plantio pode ter ocorrido nessa ou em outra encarnação. Como disseram os espíritos à Kardec, a maioria dos espíritos que encarnam nesse planeta são rebeldes a lei divina, maldosos e ignorantes. 
Há muitos tipos de dores e aflições e as causas podem ser:
- Porque abusamos da alimentação, da bebida alcoólica, do cigarro e outros tipos de drogas ilícitas. Daí aparecem doenças no órgão que lesamos, nessa e em outra encarnação. 
- Por sentimentos negativos que nos levam a desencadear doenças no corpo físico como, úlcera no estomago, problemas de pele, alteração arterial, etc.
- Por agirmos baseados nos sentimentos inferiores como, revidar uma agressão que nos leva a perder o emprego, amigo, afastam parentes e até pode levar a agressão física que acarretam prisões e colheita pela lei de causa e efeito. 
- Por abusarmos das leis humanas como: a lei de trânsito que causam tantos acidentes com lesões físicas irreversíveis e mortes; quando roubamos poderemos ir preso e reencarnar sem as mãos; etc.
- Por não acreditar que o fardo é proporcional as nossas forças, muitos querem fugir dos problemas pela falsa porta do suicídio. Pois, além de ter que dar continuação ao que interrompemos teremos que resgatar o suicídio. Se tomarmos veneno, poderemos, por exemplo, renascer com lábio leporino. Se dermos um tiro no ouvido, reencarnaremos com problema onde o projétil atingir como: surdez, anencefalia, etc. 
- Muitos de nós pedimos para passarmos por alguma privação para resgatarmos débitos. Como o espírito que matou um homem a facadas na região do estomago e, quando estava se preparando para reencarnar, pediu para desencadear um câncer no estomago e que nenhum médico curasse.
- Há espíritos missionários que não devem nada a lei divina, mas pedem doenças e privações para não se desviar do caminho que escolheu trilhar.
- Há espírito que não deve nada a lei divina , mas encarna apenas para ajudar uma família, uma cidade, etc. Como o espírito Alcione do livro Renúncia, escrito pelo espírito Emmanuel.
- Há quem venha para despertar pessoas ao compromisso que planejaram no plano espiritual antes de encarnar e que, ao chegar aqui, se esqueceram. Richard Simonneti conta a história de um casal que se comprometeu a vir e trabalhar com crianças no orfanato. Mas, chegaram aqui e se iludiram com a falsas alegrias do mundo. Daí, seu mentor veio como filho deles. Fez todos se apaixonarem por ele e desencarnou. Uma morte que chocou o casal, mas que os fez trabalhar num orfanato. A dor os colocou no rumo que haviam se desviado. 
- Há sofrimento que faz com que observemos que nascemos para evoluir. Quando perdemos um ente querido, uma doença aparece em nossa vida, etc., nossos olhos que só enxergavam as coisas passageiras do mundo, passam a enxergar o lado espiritual. Muitos fundam uma instituição de caridade, outros se tornam voluntários ou colaboradores de um, etc. 
- Quando uma criança nasce com problemas físicos, doenças de difícil tratamento e cura, etc., estas estão colhendo algo que fizeram no passado. Elas são espíritos velhos em corpos novos.
- Dinheiro, por exemplo, é prova de abnegação e caridade e pobreza é prova de paciência e resignação. De encarnação a encarnação podemos trocar de posição social, para aprendermos a lidar com cada uma delas. 
- Os orgulhosos que acreditam que são superiores por ser da raça branca, por exemplo, poderão reencarnar na raça que eles discriminam, para sentirem na pele como é triste ser discriminado.
- O homem, por exemplo, que acredita ser superior a mulher e a humilha, discrimina, é violento, poderá encarnar num corpo feminino para aprender a respeitar o sexo oposto.
Enfim, são muitos os motivos das nossas aflições, esses são apenas alguns, mas todas elas são justas, porque quem fez a lei de causa e efeito é perfeito e justo: DEUS. Quem não quer sofrer no futuro precisa observar melhor as leis humanas e as de Deus. Enquanto a transgredirmos, sofreremos as consequências.

Texto de Rudymara




A DOR NA VISÃO ESPÍRITA


Um aprendiz, chegando perto de um pastor de ovelhas, perguntou:
- Senhor, se a ovelha cair num buraco, o que fará?
O pastor respondeu:
- Eu a tiro do buraco e coloco de volta ao rebanho.
- Mas, e se a ovelha se machucar, se estiver ferida? – tornou o aprendiz.
- Eu a curo e coloco de volta ao rebanho. – retrucou o pastor.
O aprendiz pensou demoradamente e indagou, por fim:
- Mas, e se a ovelha fugir para muito longe, léguas e léguas?
O pastor zeloso e experiente, fitando o grande rebanho que pastava no vale, respondeu:
- Eu não posso ir atrás, porque eu não posso deixar todo o rebanho por causa de uma ovelha rebelde . . . Eu mando o cão buscá-la . . .

O pastor da estória é Jesus, nós somos as ovelhas de seu rebanho, o cão representa a dor, que nos resgata.
Mas, o que é a dor ?
“A dor é a ausência do amor”, diz Joanna de Ângelis. Quando nós, ovelhas, nos afastamos dos ensinamentos de Jesus, ou seja, das leis de amor, sofremos as consequências, que é a dor.
Qual a função da dor ?
Auxiliar o progresso da criatura humana.

Quem não se lembra da parábola do filho pródigo? Onde um certo homem tinha dois filhos, que com ele moravam no seu lar. Um dia, o mais moço pediu ao pai que lhe desse a parte da riqueza que lhe pertencia. Porque ele desejava correr mundo, viajar por outras terras, conhecer nova gente . . . O pai então, repartiu com ambos os seus bens, dando a cada um a parte que lhes cabia, de sua fortuna. Alguns dias depois, o filho mais novo, juntando todas as coisas que lhe pertenciam, partiu para um país distante, muito longe de sua terra natal. O outro ficou ao lado do pai. Esse moço, mal chegou ao país estrangeiro, começou a gastar, sem cuidado, todo o dinheiro que possuía. Depois de gastar tudo, aconteceu uma grande fome naquele país, e ele começou a passar necessidades. O rapaz, então, buscou um homem para pedir-lhe ajuda. Este o mandou para seus campos para guardar porcos; ali o rapaz desejava fartar-se dos frutos que os porcos comiam, mas ninguém lhas dava. Os porcos comiam melhor do que ele. Diante de tanto sofrimento, o rapaz arrependeu-se sinceramente de sua ingratidão e de seus dias vividos no erro e no vício e assim voltou para a casa do pai. A dor (o cão) o resgatou, o trouxe de volta para perto do pai. E esse o recebeu de braços abertos. É assim que o Pai faz conosco. Ele nos enviou Jesus para nos conduzir pelo caminho sem espinhos. E dá o livre arbítrio para escolhermos o caminho que quisermos trilhar. Mas, muitos de nós nos afastamos dele na ilusão de buscarmos falsas alegrias do mundo. Daí, a dor e o sofrimento obrigam a fazermos reflexões, mudanças de comportamento e a observarmos que, nascemos para evoluir, e para que isso aconteça, precisamos estar ao lado de Jesus ou dos princípios do bem. E quem não busca evoluir pelo amor será impulsionado a evoluir pela dor. Seja nessa ou em outra encarnação. A lei de plantio e colheita ou ação e reação. Como disse Kardec: “se o homem agisse sempre de acordo com as leis de Deus evitaria para si os males mais amargos e seria feliz sobre a Terra”.
A dor, segundo Emmanuel, é uma luz acesa no apoio da evolução.
Pensemos nisso!


Texto de Rudymara



terça-feira, 3 de outubro de 2017

ANIVERSÁRIO DE ALLAN KARDEC


Hoje faz 213 anos do nascimento de Allan Kardec. Sua curiosidade para os fenômenos que aconteciam na época e seus estudos culminaram em livros que nos trouxeram ensinos que vieram do Alto e que, nos mostraram quem somos, de onde viemos para onde vamos após a desencarnação e o que estamos fazendo aqui. Mostrou que toda dor e aflição que passamos tem uma causa e que, essa causa é justa porque as leis divinas são justas e perfeitas como quem as criou. E se elas não estão nessa vida estão na anterior. Nos consolou ensinando que ninguém morre, apenas retornamos de onde viemos. Ensinou a respeitarmos o livre arbítrio do próximo se queremos respeito com o nosso. Tais ensinos complementaram os ensinamentos do Cristo que enfatizou o amor e a caridade. Por isso, a bandeira do Espiritismo é: "FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO". Enfim, só temos que agradecer a vinda dele e seu empenho nos estudos que trouxeram tanta luz. Obrigada, Kardec!

Texto de Rudymara


quinta-feira, 28 de setembro de 2017

COSME E DAMIÃO


Embora o Espiritismo não comemore o dia de Cosme e Damião, eu aprendi com ele a respeitar quem comemora. É o ensino básico do cristianismo.
No calendário católico, o Dia de São Cosme e Damião é 26 mas no sincretismo religioso a festa é dia 27 de setembro. Eles eram dois irmãos gêmeos que se tornaram médicos e viajavam pelo oriente curando pessoas com a sua ciência, a fé em Deus e no poder da oração. Conseguiram tantas curas que o Rei Diocleciano mandou decapitá-los com medo da sua popularidade. Foi a partir daí que Cosme e Damião começaram a ser conhecidos como santos gêmeos. Não se sabe ao certo quando surgiu a tradição de distribuir doces, mas ganhou a cada ano mais força com o sincretismo entre a igreja católica e a umbanda. 
Os umbandistas e católicos distribuem doces nessa data. 
O importante é respeitar a crença alheia já que queremos que respeitem a nossa.


Rudymara



terça-feira, 19 de setembro de 2017

A POLÊMICA "CURA GAY"



Onde começou essa polêmica?

Começou em 1999 quando o Conselho Federal de Psicologia proibiu a psicóloga Rozangela Alves Justino de oferecer terapia aos seus pacientes que queriam tentar reverter sua sexualidade. A psicóloga entrou com um pedido para que tal decisão fosse revista. E, essa semana, O juiz federal da 14ª Vara do Distrito Federal Waldemar Cláudio de Carvalho concedeu liminar que abre brecha para que psicólogos ofereçam a terapia de reversão sexual, conhecida como ‘cura gay’. Ele não considerou a norma que proíbe a "cura gay" como inconstitucional, mas disse entender que os profissionais não podem ser censurados de promover a terapia a pacientes que a solicitarem. Sua determinação tem como objetivo não privar o psicólogo de estudar ou atender a pessoas que "voluntariamente venham em busca de orientação acerca de sua sexualidade". Porque há muitas pessoas em conflito, precisando de ajuda. A psicóloga não disse que a homossexualidade tem cura, disse que quer ajudar quem precisa de ajuda psicológica e o juiz quer dar esse direito para quem precisa. Não é um tratamento obrigatório. Só vai procurar quem achar que precisa dele. Mesmo que a pessoa em conflito procure a "cura" ou queira "deixar de ser gay", é um direito dela tentar. Na terapia o profissional não deverá aproveitar a fragilidade de seu paciente forçando-o a deixar de ser gay. Ele deverá orientá-lo, ajudá-lo a se compreender, se aceitar e entender que ele não é doente. Então, precisamos analisar os fatos antes de nos revoltarmos, polemizarmos, nos armarmos de ódio, repúdio ou algo que o valha. Homossexualidade não é doença, mas conflito emocional ameaça a saúde física. Precisamos pensar nos irmãos e irmãs que não compreendem sua atração por uma pessoa do mesmo sexo. Muitos chegam ao suicídio. Pensemos nisso!


Rudymara



domingo, 17 de setembro de 2017

A DOR AJUDA NA NOSSA EVOLUÇÃO


Por que a dor ajuda na nossa evolução? 
As dores e aflições acontecem porque são colheitas de nosso plantio, nessa ou em outra encarnação. E também porque moramos num mundo de provas e expiações onde necessitamos conviver com a maldade e ignorância de seus moradores e onde há flagelos destruidores que são causadas pela lei natural. Os flagelos destruidores beneficiam fisicamente o planeta, principalmente na renovação de sua atmosfera, mas, sobretudo, impõem um agitar das consciências humanas, tanto para aqueles que desencarnam em circunstâncias dolorosas e traumáticas, quanto para os que colhem as consequências da devastação ocasionada. Experiências assim representam a oportunidade de resgate de seus débitos do pretérito, ao mesmo tempo em que fazem sua iniciação nos domínios da solidariedade. Muitos que passam por doenças difíceis de tratar ou curar costumam abrir uma instituição, ser voluntário ou colaborador numa causa de caridade. Muitos deixam de ser menos materialista, como no caso de uma moça que está com câncer e que, em seu depoimento ela disse: "antes eu queria ter cabelos bonitos, hoje eu só quero ter cabelo." Por que? Porque ela perdeu os cabelos na quimioterapia. Daí a visão de prioridade na vida dela mudou. Outros, orgulhosos da inteligencia, chegam a humilhar quem sabe menos, daí um derrame cerebral, por exemplo, limita sua lembrança, fazendo que ele fique dependente de pessoas e lembranças de quem sabe menos que ele. Nessas tragédias da Natureza, por exemplo, observamos quem se solidariza com a dor de quem perdeu entes queridos, casas ou outros bens materiais e, quem explora a dor dessas pessoas. Há quem arrecade donativos para quem perdeu tudo e há quem desvie donativos arrecadados, quem suba o preço dos alimentos, água e outros itens de necessidade para quem precisa repor o que perdeu. 

Então, estas tragédias devem servir para despertar a obrigação de cada um com este mundo. Exemplo: não jogar lixo nos rios, córregos e bueiros; não construir em áreas de risco; não devastar a Natureza; ter vontade política para prevenir a morte de muitas pessoas, ser solidário com a dor do próximo, etc. Serve também para observarmos que não temos nada, apenas utilizamos o que Deus nos empresta. Se hoje temos algo "para utilizarmos", amanhã o vento, o tremor de terra, etc., pode levar tudo. Ensina a sermos mais humildes, pois muitos só vestem roupas de marca, exigem a melhor comida e não ajudam ninguém e nenhuma instituição, mas, quando precisam comer e vestir o que ganham das doações, passam a dar valor às coisas, e observam a importância de doar coisas para quem tem menos que eles. Enfim, a dor e o sofrimento obrigam a fazermos reflexões, mudanças de comportamento e a observarmos que, nascemos para evoluir. E quem não busca evoluir pelo amor será impulsionado a evoluir pela dor. Pensemos nisso!


Texto deRudymara