quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

CASAR E MORAR JUNTO


 
Casar e morar junto são duas coisas completamente diferentes. Não tem nada a ver com seu status no cartório. Tem a ver com entrega. Você pode casar com todas as honras. Dar uma festa linda. Gastar os tubos na Lua de Mel. Se mudar com o marido para um apartamento lindo. pronto. decorado. cheio de almofadas em cima da cama… Vocês podem ter se casado – mas vão demorar muito pra saber o que é morar junto. Acho que existem casais que se casam com pompas, e nunca talvez tenham realmente morado juntos. Morar junto é saber dividir. Saber cobrar. Saber ceder. Saber doar. Morar junto é dividir as contas e as almas. Morar junto é ter um pilha de louça pra lavar, depois de um dia terrível de 10 horas de trabalho. E o outro cantar com você para que, em um karaokê com detergente, o trabalho se torne divertido. Morar junto é ter que assistir Homem Aranha no Telecine Action, e se esforçar para achar legal. Morar junto é tomar banho junto.Transformar o chuveiro em uma cachoeira. (e o banheiro em um charco) Morar junto é ouvir onde dói no outro. Do que ele sente medo. Onde ele é criança. O que o deixa frágil. Morar junto é poder chorar sem parar. E ser ouvida. E cuidada. Mas é também rir. E achar graça em alguma coisa, quando o outro está pra baixo. Morar junto é fazer contabilidade de frustrações, e saber quando não colocar na conta do outro. Morar junto é demorar para levantar. Morar junto não precisa de uma casa, e sim de um espaço. Quem mora junto geralmente é solidário. Casar não. Qualquer um casa. Pra casar basta assinatura e champanhe. Casar leva umas horas. Morar junto leva tempo. O tempo todo. Quando moramos juntos vemos o cabelo dele crescer e ela cortar uma franja. Quando moramos juntos viramos adultos aos pouquinhos, dando um adeus doído ao adolescente que éramos. Quando moramos junto mudamos junto. E o outro vira um outro diferente com os anos. E nós vamos aprendendo a amar aquela nova pessoa, todo dia. Até o dia que, talvez, deixemos de morar juntos.

 



GABRIELA LIMA
 
 

"CASAR-SE É TAREFA PARA TODOS OS DIAS" - Emmanuel
 
 


 

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

EDUCAÇÃO É PRIORIDADE



As escolas estão educando aos trancos e barrancos, já que a lei é a “progressão continuada”, onde o aluno é promovido automaticamente de um ano para o o outro apenas com sua presença física. Onde quem estuda fica desmotivado ao ver quem não estuda passar de qualquer jeito. Em cima disso, políticos mostram estatísticas mentirosas e ludibriantes dizendo que não há evasão de alunos e que não há repetencia. Assim também, eles não tem porque construir escolas, já que não há salas com repetentes. O Governo passou a ter pouco gasto com a educação. Enfim, os políticos ganham com isso, e a sociedade perde. Os jovens ociosos estão procurando preencher seu tempo com informações deturpadas, com vicíos, sexo desregrado, etc. Estão saindo da escola sem a devida instrução. Presa fácil para a cultura de massa. Muitos, tornaram-se agressivos, desrespeitosos com professores, diretores, funcionários, com o patrimônio público e com a sociedade. A lei retirou do curriculum escolar a educação moral e cívica. Por que? Porque com o fim da ditadura militar, os que instituíram a Democracia entenderam que essa disciplina era "coisa do militarismo". No entanto, na Democracia os jovens não conhecem mais quem fizeram a história do Brasil, da cidade, onde se localizam geograficamente, mas sabem o nome e a vida do cantor predileto, as fofocas dos artistas, quem entra e quem sai do BBB e tantas outras futilidades. Muitos perderam respeito pelo país porque associam o país aos governantes dele. O país só é um pouco exaltado na época da Copa do Mundo, onde interesses financeiros e político dos dirigentes também estão desanimando o povo de torcer. Infelizmente, vemos muitos jovens usando camisas de outros países nesta época e até torcendo contra a Seleção Brasileira. A educação moral tinha como finalidade o ensinamento do exercício dos direitos e deveres dos cidadãos na escola, no lar, na sociedade. Enfim, queremos a volta da "EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA", urgente. Queremos cantores de qualidade nos meios de comunicação. Queremos que a família se preocupe com a educação ético-moral-religiosa de seus filhos. Queremos uma escola onde professores possam ensinar de verdade, onde a lei lhes dê respaldo, onde se sintam respeitados. Só assim teremos uma sociedade melhor. Só assim os jovens e adultos saberão separar o joio do trigo nos variados tipos de “cultura”.



Texto de Rudymara




 

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A MELHOR RELIGIÃO

OLHO GORDO? MALDIÇÃO? MAU OLHADO? MAU FLUIDO?


 
A “maldição”, o "olho gordo", o "mau olhado", o "mau fluido", ou como queiramos chamar, é repelido ou aceito dependendo de "nós". Nós somos o nosso próprio amuleto. Ninguém faz mal para ninguém, porque o mal só nos atinge porque está dentro de nós.
Se, porém, o amaldiçoado é uma pessoa bem ajustada, moral ilibada, ideias positivas, sentimentos nobres, nada lhe acontecerá. Simplesmente não haverá receptividade para uma vibração maldosa.



 



Richard Simonetti


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

ABORTO ESPONTÂNEO

 
Além dos abortos espontâneos, motivados em débitos cármicos do casal, que se associam às dívidas e desarmonias do Espírito reencarnante, outros fatores podem ser causa de aborto não provocado por interferência material.
Uma das causas que devem ser mencionadas é a relacionada à própria entidade reencarnante. Como nós, seres viventes do planeta Terra, temos muitas vezes o temor à morte, os Espíritos, em muitas circunstâncias, temem abandonar uma situação que se lhes afigura estável, para mergulhar novamente na matéria, aprisionando ou anestesiando suas conquistas do passado. Em outras palavras, medo de nascer.
Espíritos que necessitam renascer com severas limitações físicas, frutos de alterações expressivas em sua constituição perispiritual, atemorizam-se ante uma perspectiva que custam a aceitar Apesar de todo o trabalho dos mentores espirituais esclarecendo que a exteriorização deformante do corpo físico facilita a eliminação das anomalias em nível perispiritual, desde que acompanhada de uma postura mental saudável, os receios e as reações muitas vezes ocorrem.
Outros, embora nada tenham a temer com relação a deformidades físicas, travam intensa luta íntima, um conflito entre a razão que os faz renascer naquele lar e o sentimento de antipatia com relação a alguns dos seus membros.
Como sabemos, a ligação familiar freqüentemente é o palco dos reajustes do passado. Vínculos pretéritos de desafetos que necessitam se perdoar, encontram na "anestesia" do pretérito a condição predisponente para a "cirurgia" psíquica que eliminará o "abscesso" do ódio.
Embora ocorram reencarnações compulsórias, necessárias para aqueles cujo primitivismo psíquico não permite a participação na escolha de suas provas ou expiações, na nova romagem física, normalmente o livre-arbítrio é preservado. Todos nós, seres humanos, temos a possibilidade de escolher, acertar ou errar, avançar ou recuar. A liberdade que já conquistamos nas milhares de encarnações faculta-nos o ensejo de decidir. Decidir, porém arcando com o peso das conseqüências.
Há Espíritos que se posicionam mentalmente de forma reiterada na recusa psíquica a reencarnar. Acentuam esta posição à medida que se sentem retidos na malha fluídico-energética materna. Nos casos onde a dificuldade anterior de relacionamento era justamente com a mãe, a interpenetração energética entre ambos pode exacerbar a predisposição contrária ao renascimento. Acordam velhas emoções que dormiam embaladas pela canção do esquecimento.
Laços fluídicos que prendiam as emanações energéticas do perispírito da entidade reencarnante ao perispírito materno ou, já unidas, ao chacra genésico da futura mãe podem romper-se. Nos casos em que a gestação já se fazia em curso, e o fluido vital do embrião em desenvolvimento se fundia com o corpo espiritual em processo de miniaturização, a súbita e intensa revolta do Espírito pode determinar a ruptura definitiva das ligações, deixando o futuro feto sem o Espírito. Inviabiliza-se a gestação por falta do modelo organizador biológico.
Ocorre o processo do aborto tido como espontâneo, porém, na realidade, provocado pela recusa sistemática, enérgica e imatura do Espírito. Perde ele, assim, uma grande oportunidade para superar-se a si mesmo e avançar celeremente rumo à felicidade.

 

Ricardo di Bernardi. Reformador, dez. 1992.
 
 
 
 
 

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

NAS FRONTEIRAS DA LOUCURA

 
No livro “Nas Fronteiras da Loucura” escrito pelo espírito Philomeno Miranda e psicografia de Divaldo Franco, traz muitos trechos contando como é o carnaval nos bastidores do ponto de vista espiritual. Ele conta que uma verdadeira invasão de espíritos se aproximam da Terra pela sintonia conosco naqueles momentos de invigilância. Narra o caso de uma jovem que não participava do carnaval e foi visitar uma senhora que morava na zona norte do Rio de Janeiro. Ela pegou o trem e quando desceu, deparou-se com uma turba de desocupados e desequilibrados que estavam ali alcoolizados “curtindo o carnaval”. Ao ver a moça bonita começaram se aproximar para cometer uma violência sexual. Dr. Bezerra atende aquela prece e vai inspirar uma viatura de polícia que atendeu ao pedido e foi em direção onde a moça estava sendo acuada pelos rapazes. Então, como vemos até os que estão de pensamento e atitude elevados podem ser atingido por desequilibrados que vibram negativamente.
 
 
OBSERVAÇÃO: A influência que os Espíritos exercem sobre os nossos pensamentos e ações no dia-a-dia é muito maior do que nós imaginamos, porquanto em muitas vezes são eles que nos dirigem. Essa influência pode ser boa ou má, oculta ou ostensiva, fugaz ou duradoura, mas, em qualquer situação, ela só se concretiza por meio da sintonia que se estabelece entre os indivíduos. Lembremos Rodolfo Calligaris que disse: “pensar é vibrar, é entrar em relação com o Universo espiritual que nos envolve, e, conforme a espécie das emissões mentais de cada ser, elementos similares se lhe imanizarão, acentuando-lhe as disposições e cooperando com ele em seus esforços ascensionais ou em suas quedas e deslizes”
 
 
 
 
 

NOS DIAS DE CARNAVAL NOEL ROSA É SOCORRISTA NO PLANO ESPIRITUAL

No livro “Nas Fronteiras da Loucura”, ditado ao médium Divaldo Pereira Franco pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda
Philomeno registra, dentre outros pontos de relevante interesse, o encontro com um certo sambista desencarnado, o qual não é difícil identificar como Noel Rosa, o poeta do bairro boêmio de Vila Isabel, no Rio de Janeiro, muito a propósito, integrava uma dessas equipes socorristas encarregadas de prestar atendimento espiritual durante os dias de Carnaval. Interessado em colher informações para a aprendizagem própria (e nossa também!), Philomeno inquiriu Noel sobre como este conciliava sua anterior condição de “sambista vinculado às ações do Carnaval com a atual, longe do bulício festivo, em trabalhos de socorro ao próximo”. Com tranqüilidade, o autor de “Camisa listrada” respondeu que em suas canções traduzia as dores e aspirações do povo, relatando os dramas, angústias e tragédias amorosas do submundo carioca, mas compreendeu seu fracasso ao desencarnar, despertando “sob maior soma de amarguras, com fortes vinculações aos ambientes sórdidos, pelos quais transitara em largas aflições”.
No entanto, a obra musical de Noel Rosa cativara tantos corações que os bons sentimentos despertados nas pessoas atuaram em seu favor no plano espiritual; “Embora eu não fosse um herói, nem mesmo um homem que se desincumbira corretamente do dever, minha memória gerou simpatias e a mensagem das musicas provocou amizades, graças a cujo recurso fui alcançado pela Misericórdia Divina, que me recambiou para outros sítios de tratamento e renovação, onde despertei para realidades novas”. Como acontece com todo espírito calceta que por fim se rende aos imperativos das sábias leis, Noel conseguiu, pois, descobrir “que é sempre tempo de recomeçar e de agir” e assim ele iniciou a composição de novos sambas, “ao compasso do bem, com as melodias da esperança e os ritmos da paz, numa Vila de amor infinito...”.
Entre os anos 60 e 70, Noel Rosa integrava a plêiade de espíritos que ditaram ao médium, jornalista e escritor espírita Jorge Rizzini a série de composições que resultou em dois discos e apresentações em festivais de músicas mediúnicas em São Paulo. O entendimento do Poeta da Vila quanto às ebulições momescas, é claro, também mudou: “O Carnaval para mim, é passado de dor e a caridade, hoje, é-me festa de todo, dia, qual primavera que surge após inverno demorado, sombrio”.
 
 
Revista Visão Espírita
Março de 2000
 
 

NEM TUDO NOS CONVÉM.....

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

CUIDADO COM O VÍCIOS


Queremos deixar claro que, nós espíritas não somos contra quem faz uso de qualquer droga (forte ou fraca, lícita ou ilícita), porque somos a favor do livre arbítrio. Mas, aqui, ou em qualquer outro meio de comunicação onde expomos a visão espírita sobre vários assuntos, priorizamos a visão ESPIRITUAL. Como acreditamos na reencarnação, numa vida após esta vida, sabemos que todo prejuízo que causarmos ao nosso corpo físico, diminuindo o tempo de vida na Terra é SUICÍDIO. E todo prejuízo que causarmos aos que convivem conosco neste planeta (pai, mãe, irmãos, desconhecidos), de maneira direta ou indireta, também prestaremos contas às leis divinas. Pois, quem compra drogas estimula violências, brigas, desentendimentos, mortes. O plantio é livre, mas a colheita obrigatória. Não queremos obrigar ninguém a acreditar no que acreditamos, mas esta página é espírita e colocamos aqui assuntos sob sua visão. Sem querer impor nossa filosofia cristã de vida. Nós acreditamos na conscientização das pessoas. O cigarro já está perdendo espaço em nossa sociedade. A conscientização pode demorar, mas ela amadurece com o amadurecimento espiritual das pessoas. Ninguém nasce precisando de transplante de fígado sem ter lesado, numa vida anterior, este órgão, etc. Nossa Marcha é à favor da vida corporal e espiritual saudável. Se droga fosse boa, não existiria Centros de Recuperação. O único que se dá bem (materialmente) com as drogas são os traficantes. Mas eles também terão que prestar contas com as leis de Deus pelo estrago que causam na vida das pessoas, famílias e sociedade. Eles só existem porque tem usuários. E, o gatinho do post deixou bem claro que, nem tudo que vem da Natureza é saudável. Pensemos nisso.




Rudymara


DROGAS


 
TODOS SABEM OS MALEFÍCIOS DAS DROGAS.....ELAS GERAM SOFRIMENTO NA VIDA DE QUEM USA.....DA FAMÍLIA....E DA SOCIEDADE.....ENFIM, QUEM É ESPERTO NÃO ENTRA NESSA....

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

SINTONIA

Foto: (y)